Home NotíciasBHCarreata que pedia volta do comércio em BH é vaiada por moradores da Afonso Pena: ‘Vai pra casa’

Carreata que pedia volta do comércio em BH é vaiada por moradores da Afonso Pena: ‘Vai pra casa’

carreata bh predios

Com Amanda Dias

Um grupo de manifestantes realizou mais uma carreata nesta terça-feira (21) pela região Central de Belo Horizonte. Desta vez, moradores de prédios na avenida Afonso Pena vaiaram os manifestantes e protestaram de forma contrária, defendendo o distanciamento social. O embate rendeu uma cena no mínimo inusitada: um “bate-boca” à distância.

Leia mais: Caixa deposita saque emergencial do FGTS para nascidos em fevereiro

Segundo o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, por volta das 10h, os manifestantes se concentraram na avenida Afonso Pena e, às 10h30, cerca de 100 veículos começaram a se deslocar em direção à Praça da Liberdade. Ainda segundo a PM, a carreata também protestava contra o prefeito Alexandre Kalil (PSD).

Os manifestantes exibiam bandeiras do Brasil (Amanda Dias/BHAZ)

Enquanto a maioria dos manifestantes permaneceu dentro dos carros, alguns saíram na rua e exibiram bandeiras do Brasil. Em resposta, moradores de edifícios ao redor saíram às janelas para protestar contra a carreata.

Leia mais: Nick Cordero, astro internacional, morre aos 41 anos por Covid-19

Em um “bate-boca” à distância, os manifestantes na rua buzinavam, faziam “arminha” com a mão e pediam a volta do comércio, enquanto os moradores faziam panelaços e gritavam “Fora Bolsonaro” e “Vai pra casa”. O tenente Rildo dos Santos, do Batalhão de Trânsito, informou ao BHAZ que não houve maiores confusões e a carreata seguiu seu caminho.

Depois de permanecerem por cerca de uma hora na avenida Afonso Pena, os manifestantes desceram e contornaram a Praça da Liberdade. De lá, eles seguiram até a praça Marília de Dirceu, no bairro de Lourdes. O caminho foi seguido até a avenida Assis Chateaubriand, onde os carros se dispersaram, segundo a PMMG.

Oração

O candidato derrotado a deputado estadual em 2018 Julio Hubner, que participou da carreata, registrou no Facebook momentos em que os manifestantes fizeram uma oração juntos e gritaram “O Brasil não pode parar”, no final da carreata.

“Kalil criou decretos indecentes, com o aval de vereadores da Câmara Municipal, que travaram as pessoas de trabalhar. Precisamos acabar com essa greve geral disfarçada de pandemia”, afirmou o ex-candidato no vídeo.

Sofia Leão

Sofia Leão

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários