Mãe confessa ter jogado corpo da filha, desaparecida há 50 dias, em rio; criança já estava morta

mae confessa crime
A criança estava desaparecida desde o dia 2 de março (EPTV/Reprodução)

A mãe de uma criança de 1 ano e 10 meses, que estava desaparecida desde o dia 2 de março, confessou ter cometido um crime contra a filha e afirmou que a pequena Ísis Helena está morta. Segundo a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP) informou ao BHAZ, ela foi detida na manhã de sexta-feira (17).

A criança desapareceu na cidade de Itapira, em São Paulo, há 50 dias, e o caso é investigado pela Delegacia Investigações Gerais de Mogi Guaçu. A SSP relatou que diligências ainda estão em andamento para localização do corpo da criança e esclarecimento dos fatos.

Segundo o G1, a Polícia Civil de São Paulo informou que Jennifer Natalia Pedro, mãe de Ísis Helena, confessou ter jogado o corpo da criança em um rio. Ela teria se desesperado ao notar que a menina havia morrido engasgada com leite.

A criança nasceu prematura, com microcefalia, fazia uso de remédios controlados e não conseguia engatinhar. Ainda segundo a publicação, a mãe, de 21 anos, teria colocado o corpo de Ísis Helena em uma mochila antes de jogar na água.

De acordo com a SSP, Jennifer Natalia está em prisão temporária desde a última sexta-feira (17) para que as investigações continuem em andamento, mas o mandado será prorrogado.

O caso

Desde o desaparecimento da criança, no dia 2 de março, a mãe afirmava que havia saído de casa pela manhã e deixado a filha dormindo com o avô. Ela disse que a família desconfia que o homem sofre de Alzheimer. Segundo o G1, Jennifer afirmava à polícia que, ao voltar para casa, notou que a porta estava aberta e que a criança havia desaparecido.

Buscas foram realizadas por equipes da Polícia Civil, com auxílio de um cão farejador. Ainda segundo o site, no novo depoimento à polícia, ela contou que a filha estava doente e com febre na noite anterior, e que deu mamadeira e colocou a criança para dormir de barriga para cima. No dia seguinte, ela percebeu que a criança havia se asfixiado e morrido.