Home NotíciasCoronavírusZema projeta Carnaval 2021 em risco e volta das aulas presenciais apenas no segundo semestre

Zema projeta Carnaval 2021 em risco e volta das aulas presenciais apenas no segundo semestre

Aulas estão suspensas desde 15 de março em Minas

A volta às aulas presenciais em Minas Gerais está distante de se tornar realidade. Ao menos é o que projeta o governador Romeu Zema (Novo), que disse, nesta terça-feira (21), acreditar que será preciso aguardar “mais 60 ou 90 dias”. O mandatário ainda comentou sobre a volta do futebol e afirmou que vê o Carnaval de 2021 em risco.

O mandatário ressaltou que tudo não passa de uma previsão. A informação foi dita em entrevista concedida à rádio Itatiaia. “Uma mera previsão minha. Não falo que é o que vai acontecer, mas julgo que é muito difícil voltarmos a ter aulas antes de junho ou julho. No mínimo, mais 60 ou 90 dias sem aulas presenciais”, disse.

Leia mais: Noiva receberá indenização por ‘maquiagem ruim’ no dia do casamento

O retorno das aulas presenciais vai depender das confirmações de casos da Covid-19 em Minas Gerais. Dados do Boletim Epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde) apontam que Minas tem 1.230 confirmações da Covid-19 e 44 mortes.

“A curva em Minas tem crescido cada vez mais lentamente. A situação está cada vez mais sob controle. É um crescimento que não tira a segurança do nossos sistema de saúde”, disse.

As aulas presenciais estão suspensas no Estado desde 15 de março, quando um decreto foi publicado por Zema.

Leia mais: Seleção de currículos para o hospital de campanha termina nesta terça

O texto criou o Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde do Covid-19 e ampliava as ações de combate ao coronavírus em órgãos e entidades da administração estadual.

Futebol e Carnaval

O governador citou ainda que a curva dará uma previsão sobre a possível retomada dos jogos de futebol e comentou até dos impactos que projeta do coronavírus no Carnaval de 2021.

“Jogos de futebol, talvez sem público, possa ver viável, mas lembrando que jogadores e toda a comissão técnica estarão juntos, o que aumenta o risco. O Carnaval para o ano que vem está muito longe, mas ate lá o vírus estará no meio de nós… Se a situação perdurar, com certeza, vai ser afetado”, afirmou, ressaltando que será preciso aguardar a descoberta de algum medicamento.

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários