Home NotíciasCoronavírusCrise econômica: Salário de servidores em maio está em risco, admite Governo de Minas

Crise econômica: Salário de servidores em maio está em risco, admite Governo de Minas

Desde fevereiro de 2016, os servidores do governo de Minas Gerais lidam com parcelamento dos salários. A situação tende a ficar ainda pior com a pandemia do novo coronavírus e a “fuga” do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que é a principal fonte de arrecadação do Estado para honrar o compromisso com os trabalhadores.

O vencimento de maio, conforme o próprio governo, está na berlinda. “Com esse cenário, aumentam as dificuldades para realizar o pagamento dos salários em maio”, informou o governo, em nota.

Leia mais: Adriano Imperador participa de baile funk e sai amparado por amigo

A segunda parcela do salário do mês de abril só será quitado integralmente nesta terça-feira (28). Os servidores da saúde e da segurança receberam o valor integral no início do mês.

“Essa dúvida mexe com a estabilidade emocional e atrapalha o planejamento financeiro. Eu já estava realizando este planejamento há um ano e meio. Vejo que 2020 é será um ano perdido”, contou um funcionário do Estado de 32 anos, que pediu anonimato.

Qual a situação atual?

Leia mais: Minas pode entrar em ‘platô’ com alto número de casos de Covid-19

Ainda de acordo com a nota do Governo de Minas, a crise econômica imposta pela Covid-19 agravou a situação fiscal. No mês de abril, que reflete a arrecadação de maio, Minas deve registrar uma queda de R$ 1,17 bilhão. Já a previsão para o mês de abril é alarmante. A redução da arrecadação deve chegar a R$ 2,2 bilhões.

“A expectativa é que as perdas na arrecadação em função da pandemia cheguem a R$ 7,5 bilhões, o Estado fecharia 2020 com um déficit de R$ 20,8 bilhões”, informou a nota.

O que está sendo feito?

O Governo de Minas informou que instituiu um plano de redução de despesas. A ideia é economizar R$ 4,3 bilhões até o fim do ano. O corte não atinge a saúde.

“O Governo de Minas segue buscando soluções para honrar os compromissos com todo o funcionalismo público e garantir os serviços prestados à população, sobretudo na área da saúde”, garantiu a nota.

Repercussão nas redes

O assunto sobre o pagamento dos salários já invadiu as redes sociais. Muitos internautas criticam a questão do 13° salário de 2019, uma vez que já estamos no final de abril de 2020. “Eles (servidores) estão precisando demais do dinheiro para pagar contas atrasadas”, escreveu um usuário.

Outro internauta usou a rede social para alfinetar o mandatário do Executivo mineiro. “Para Zema, até receber é privilégio”, opinou. Há quem defenda o governador. “Ele está lidando bem com a crise econômica do Estado que assumiu”, considerou um usuário do Twitter.

Casos da Covid-19 em Minas

A SES-MG (Secretaria de Estado de Minas Gerais) informou nesta segunda-feira (27) que há 1.586 casos da pandemia confirmados no Estado. Há ainda 62 mortes e outros 98 óbitos são investigados.

Confira a nota na íntegra:

“A crise econômica provocada pela Covid-19 agravou a situação fiscal de Minas, que já vinha enfrentando dificuldades e tentando equilibrar as contas públicas. Apesar disso, com todos os esforços empenhados, o Governo vai conseguir quitar o salário de abril de todos os servidores nesta terça-feira (28/4). Os funcionários das áreas da Saúde e da Segurança Pública receberam o pagamento integral no dia 9 de abril.

Explicamos que no mês de abril, que reflete a arrecadação de março, Minas deve fechar com uma queda de R$1,17 bilhão. Já para o mês de maio, que reflete a arrecadação de abril, a previsão é de uma queda de R$2,2 bilhões. A expectativa é que as perdas na arrecadação em função da pandemia cheguem a R$ 7,5 bilhões, o Estado fecharia 2020 com um déficit de R$ 20,8 bilhões. Com esse cenário, aumentam as dificuldades para realizar o pagamento dos salários em maio.

Ressaltamos que o Governo instituiu um plano de redução de despesas em R$ 4,3 bilhões, até o fim do ano, para amenizar os impactos financeiros e garantir a atuação do estado no combate ao coronavírus. O corte não atinge as ações na área da Saúde.

O Governo de Minas segue buscando soluções para honrar os compromissos com todo o funcionalismo público e garantir os serviços prestados à população, sobretudo na área da saúde“.

Aline Diniz

Aline Diniz

Editora do BHAZ desde janeiro de 2020. Jornalista diplomada pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) há 10 anos e com experiência focada principalmente na editoria de Cidades, incluindo atuação nas coberturas das tragédias da Vale em Brumadinho e Mariana. Já teve passagens por assessorias de imprensa, rádio e portais.

Comentários