Home NotíciasCoronavírusMandetta dispara contra Bolsonaro e teme epidemia descontrolada: ‘Ele não tirou o ministro, mas a ciência’

Mandetta dispara contra Bolsonaro e teme epidemia descontrolada: ‘Ele não tirou o ministro, mas a ciência’

mandetta cloroquina

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta participou de uma live organizada pelo MBL (Movimento Brasil Livre), nesse domingo (16), e aproveitou a ocasião para falar sobre sua demissão. “Ele (Bolsonaro) não tirou o Luiz Henrique Mandetta, mas a ciência”, afirmou. O médico anunciou sua saída do governo no dia 16 de abril.

+ Após conflitos, Mandetta é demitido; Nelson Teich é o mais cotado

Leia mais: Vacinas poderão controlar a Covid-19, diz diretor do Butantan

Mandetta considera que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) considerou que as questões econômicas relacionadas ao isolamento social seriam piores para o Brasil do que a disseminação da Covid-19. “Ao meu ver, ele entendeu que as implicações econômicas seriam mais deletérias, mais duras para as pessoas do que as de saúde”, considerou Luiz.

A partir daí, Mandetta acredita que Bolsonaro sentiu a necessidade de tornar sua opinião pública. “Ele começou a tomar uma série de atitudes públicas que se chocavam com a maneira com que o Ministério da Saúde estava sendo conduzido”, detalhou.

O ex-funcionário público explicou que a pasta defendia três pilares: a ciência, o SUS (Sistema Único de Saúde) e a vida. “Ficou impossível porque eu não podia sair das minhas prerrogativas, e ele não podia sair das dele”, completou.

Leia mais: PBH divulga regiões com mais mortes por Covid-19 na capital; veja o ranking

Flexibilização do isolamento

Mandetta disse ainda que pode ser muito cedo para iniciar um afrouxamento do distanciamento social. “Muitas cidades abriram isso muito cedo. Vamos começar a ter brotes epidêmicos. Uma epidemia em uma cidade, depois em outra”, analisa. Ele teme que a transmissão desorganizada acabe levando o país a uma quarentena ainda mais rígida.

+ Demissão de Mandetta amplia confronto político e agrava isolamento de Bolsonaro

O médico ainda avalia que houve uma quebra na transmissão. A ideia do ex-ministro era exatamente atrasar a disseminação do novo coronavírus para que o SUS conseguisse se preparar para receber os pacientes da Covid-19.

Contudo, ele prevê que, depois de Manaus e cidades do Nordeste, o Rio de Janeiro sofra bastante com a pandemia. Ainda segundo Mandetta, São Paulo é um Estado mais preparado para mitigar os efeitos do coronavírus.

+ Zema anuncia protocolo para retomada da economia; abertura deve ocorrer em duas a três semanas

Aline Diniz

Aline Diniz

Editora do BHAZ desde janeiro de 2020. Jornalista diplomada pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) há 10 anos e com experiência focada principalmente na editoria de Cidades, incluindo atuação nas coberturas das tragédias da Vale em Brumadinho e Mariana. Já teve passagens por assessorias de imprensa, rádio e portais.

Comentários