Home NotíciasBrasil‘E daí? Quer que eu faça o quê?’: Bolsonaro revolta com resposta ao recorde de mortes por Covid-19 no país

‘E daí? Quer que eu faça o quê?’: Bolsonaro revolta com resposta ao recorde de mortes por Covid-19 no país

bolsonaro diz e daí para mortes por coronavirus

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), voltou a causar indignação nas redes sociais e no cenário político do Brasil. O chefe do Executivo nacional se mostrou insensível ao crescente número de mortes por Covid-19 no país e afirmou que não faz “milagres”. Nessa terça-feira (28), foi divulgada a informação de que o Brasil superou o número de mortes diárias da China, que foi o epicentro inicial da pandemia.

Ao ser confrontado com essa informação em uma entrevista em frente ao Palácio do Planalto, Bolsonaro respondeu com rispidez. “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Sou Messias, mas não faço milagre”, retrucou.

Leia mais: ‘Mês, com toda certeza, que teremos mais óbitos’, diz Zema sobre julho

Logo após as falas que causaram indignação, o presidente questionou se os jornalistas presentes estão transmitindo ao vivo. Após a confirmação de alguns, Bolsonaro recuou no tom agressivo e afirmou que o país enfrenta um momento difícil. “Nos solidarizamos com as famílias que perderam seus entes queridos”, alegou.

“Mas é a vida. Amanhã vou eu. Logicamente, o que a gente quer, se um dia morrer, é ter uma morte digna e deixar uma boa história para trás”, acrescentou.

Leia mais: Receita alerta para retorno de obrigações adiadas na pandemia

Covid-19 no Brasil

Segundo o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, nessa terça-feira (28), o Brasil já tem mais mortes por Covid-19 do que a China. O país asiático registra 4.643 mortes pela doença, enquanto a pasta afirma que já são 5.017 óbitos entre os brasileiros.

Além disso, foram 474 mortes em 24h no Brasil. Isso representa um aumento de 10% em mortes, evidenciando uma tendência de crescimento na mortalidade da doença pelo país. Ao todo, já são mais de 70 mil casos registrados.

Revolta

A forma como o presidente reagiu à grave situação da pandemia no Brasil gerou revolta entre as pessoas, incluindo representantes políticos. No Twitter, a expressão “e daí” está entre os assuntos mais comentados desde a divulgação da entrevista. 

“Quando o presidente diz ‘e daí’ pra mais de 5 mil mortos, sendo 474 nas últimas 24h, ao som de risadas de deboche de seus apoiadores, ou é um atestado por notória evidência de insanidade, ou é uma prova candente de falta de caráter e qualquer vestígio de sensibilidade”, escreveu a ex-presidenciável Marina Silva.

O impacto da resposta de Bolsonaro chegou a estampar a capa do jornal Estado de Minas. Com o fundo escuro e a fala do presidente em letras garrafais, o nome do veículo também se tornou assunto de destaque nas redes sociais.

“É exatamente isso que eu espero da imprensa: a denúncia, em primeira página, do deboche, do descaso, da ignorância, da irresponsabilidade de um sujeito descomprometido com o seu próprio povo”, escreveu um usuário do Twitter.

Guilherme Gurgel

Guilherme Gurgel

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários