Home NotíciasBrasilCovid-19: Para evitar aglomerações, cidades proíbem venda e consumo de bebida alcoólica

Covid-19: Para evitar aglomerações, cidades proíbem venda e consumo de bebida alcoólica

Em Araguaína, prefeito proibiu a venda das bebidas

Os casos confirmados do novo coronavírus seguem crescendo pelo país. Para tentar barrar o aumento de infectados, algumas cidades vêm reforçando as restrições e proibindo, por exemplo, a venda e o consumo de bebida alcoólica.

Pelo menos duas cidades fizeram isso: Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, e Araguaína (TO). No município mineiro, a prefeitura determinou o fechamento de bares e decretou a proibição do consumo de bebida alcoólica em espaços públicos.

Leia mais: Técnico de enfermagem do João XXIII morre de Covid-19 em BH

Betim
havia autorizado a flexibilização de alguns setores comerciais, no entanto o
alto índice de denúncias sobre estabelecimentos com aglomerações fez o
Executivo municipal voltar a impedir a abertura.

“Diante das mais de sete mil fiscalizações realizadas, verificamos muitos abusos. Tentamos buscar uma saída harmoniosa entre a preocupação com saúde e a manutenção da renda dos comerciantes, infelizmente foi necessário endurecer novamente”, informou o procurador geral de Betim, Bruno Cypriano.

O decreto da prefeitura de Betim estabelece novas regras também para o funcionamento de restaurantes, que terão horário restrito das 10h às 21h, e também para igrejas e templos religiosos.

Leia mais: Companhia aérea de voos regionais vai operar no Aeroporto da Pampulha

Quem
não cumprir as medidas de prevenção poderão pagar multa que varia de R$ 1 mil a
R$ 50 mil. A cidade da Grande BH tem 16 casos confirmados de coronavírus e uma
morte.

Araguaína

A
proibição na venda de bebidas alcóolicas também acontece em Araguaína, no
Tocantins. O prefeito Ronaldo Dimas, que é natural de Frutal (MG), proibiu
todos os estabelecimentos varejistas, distribuidores, atacadistas e fabricantes
de vender a pessoas físicas.

“Dentro
dessa nova realidade, está indo de encontro ao que vem acontecendo, por causa
de festas que vêm ocorrendo e não está sendo respeitada a não-aglomeração”,
explicou o prefeito.

O
novo decreto do município limita o número de pessoas em reuniões familiares,
retorna o atendimento comercial somente por entrega ou retirada no local,
suspende a realização de cultos e missas com público e ainda responsabiliza
instituição e estabelecimentos pelo uso da máscara no interior.

De acordo com a Prefeitura de Araguaína, até essa quarta-feira (29), a cidade tinha 46 casos confirmados de Covid-19.

O decreto pode ser lido clicando aqui.

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários