Contas de luz assustam belo-horizontinos em meio à pandemia; Cemig nega reajuste

Contas de luz com vencimento em maio assustam belo-horizontinos (Arquivo/EBC + Arquivo pessoal)

Desde que a quarentena imposta pelo novo coronavírus teve início, milhares de brasileiros voltaram suas atenções para a questão do desemprego. Sem renda, muitos se preocupam em como pagar as contas em dia, a começar pelo mais essencial, como os débitos de água e luz.

Nesta semana, a Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) tornou-se assunto nas redes sociais depois que consumidores passaram a relatar contas de luz com valores exorbitantes, bem acima do esperado. Uma publicação a respeito do assunto, feita em um grupo fechado no Facebook, já reúne mais de mil comentários sobre os valores de faturas recentes.

Moradora de BH publicou mensagem sobre aumento em conta de luz (Reprodução/Facebook)

O BHAZ conversou com moradores da capital para saber a reação deles ao receberem a conta de luz do mês de abril. Todos disseram ter levado um susto diante dos valores e afirmaram que não mudaram os hábitos, mesmo estando em casa todos os dias por conta da pandemia. Apesar disso, a Cemig descarta ter realizado reajustes tarifários e credita a elevação nos valores à mudança no consumo de energia (veja abaixo).

“A gente nunca espera que de um mês para o outro a conta vá aumentar R$ 100. Bate um desespero na gente, principalmente por causa da pandemia, quando estamos impossibilitados de trabalhar. O valor normal é R$ 180, no máximo, e desta vez veio R$ 275”, diz a fisioterapeuta Raquel Bizarri.

Há 40 dias sem poder ir ao serviço, por conta do isolamento social, a assistente de loja Cristina da Silva disse não ter entendido o aumento na conta, já que na casa dela moram apenas três pessoas.

De R$ 91,74 a R$ 252,38: Aumento em conta de luz assustou Cristina (Arquivo Pessoal)

“O valor veio arrancando o couro. Levei um susto por que aqui em casa o máximo que vem é R$ 190 e neste mês veio R$ 252,38. A única mudança deste mês pro outro é que só estamos ficando em casa”, relata.

A administradora Fernanda Lamounier garante que a única mudança efetiva no consumo de energia em sua casa durante o último mês ficou por conta de um computador, que agora está ligado parte do dia. Para ela, no entanto, o uso do equipamento não justifica a conta dobrar de valor. “A gente ficou bem assustado. Eu não esperava que um computador fizesse a conta que vinha uns R$ 200 chegar a quase R$ 400”, conta à reportagem.

Na casa de Fernanda, o valor da conta de luz quase dobrou (Arquivo pessoal)

Cemig explica

Procurada pelo BHAZ, a Cemig explicou que a pandemia de Covid-19 mudou a rotina da grande maioria da população mundial e que, ao ficar mais tempo em casa, as pessoas estão consumindo mais energia.

“A Cemig registrou aumento médico de 0,6% no consumo de energia dos clientes residenciais da sua área de concessão”, informou.

Apesar dos consumidores terem notado aumento nas faturas, a companhia nega qualquer reajuste em 2020. “Não houve, até o mês de abril, qualquer tipo de reajuste na tarifa de energia da Cemig”, esclareceu.

A companhia aconselha as pessoas a acompanharem o consumo mensal, que vem descrito nas contas.

“Quando for avaliar a variação de consumo, o cliente deve, inclusive, comparar a leitura atual no medidor do seu imóvel com a leitura apresentada na fatura: a diferença entre os números indica o quanto já foi consumido de energia em kWh desde que o leiturista passou pelo imóvel”.

Revisão de valor

Cristina pretende solicitar a revisão do valor da conta. “Quero que o valor da conta seja revisto. Vou procurar saber como que faz”, diz.

O processo pode ser feito por meio dos canais de atendimento da companhia:

  • O aplicativo Cemig Atende (disponível para Android e IOS)
  • A agência virtual Cemig Atende Web (disponibilizada no endereço https://atende.cemig.com.br)
  • O SMS (enviar um torpedo para o número 29810) e
  • Os aplicativos Telegram (@cemigbot direto no app) e Whatsapp (31 3506-1116, disponível para informar leitura e segunda via de contas).

Cuidados

A Cemig pede que não haja aumento excessivo de consumo e que as pessoas utilizem energia de “forma racional”.

Engenheiro de eficiência energética da Cemig, Thiago Batista ressalta que a população deve ter atenção com o chuveiro. Segundo ele, o aparelho merece atenção especial da população. “A recomendação para economizar energia com o chuveiro é reduzir o tempo de banho e, se possível, colocar o seletor de temperatura na posição ‘verão’, o que reduz a potência em 30% e faz uma grande diferença na conta de energia”, explica.

A geladeira, conforme Thiago, é outro item que merece destaque, pois o “abre e fecha” faz o eletrodoméstico ser o segundo a consumir mais energia em casa. O home office, adotado por muitas empresa na pandemia, também requer cuidados.

“As famílias precisam ficar atentas ao consumo de computadores e periféricos. Ao se ausentar por curto período de tempo, o monitor deve ser desligado. Outros componentes, como impressoras e caixas de som também devem ficar desligados, quando o computador não estiver sendo utilizado”, alerta a Cemig.

Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.