Home NotíciasCoronavírusErupções, ‘frieiras’ e urticária: Estudo espanhol aponta cinco manifestações da Covid-19 na pele

Erupções, ‘frieiras’ e urticária: Estudo espanhol aponta cinco manifestações da Covid-19 na pele

covid pele

Os efeitos da Covid-19 no corpo humano ainda são estudados e os sintomas semelhantes aos de gripe podem não ser os únicos sinais da doença provocada pelo novo coronavírus. Um estudo da Academia Espanhola de Dermatologia e Doenças Venéreas (AEDV), publicado pelo British Journal of Dermatology, identificou cinco manifestações cutâneas que podem ser provocadas pelo vírus.

A pesquisa, denominada “COVID-Piel”, coletou, por duas semanas, dados sobre 375 pessoas que desenvolveram problemas dermatológicos depois de entrar em contato com o vírus e desenvolver a Covid-19. 

Leia mais: ‘População mais pobre infectada pelo coronavírus protege os ricos’, aponta biólogo

“Os vírus afetam a pele por vários mecanismos. Às vezes, há uma infecção direta da pele, e outras vezes o que ocorre é uma afetação da parede interna dos vasos sanguíneos. Também pode acontecer uma afetação indireta, causada pela reação de imunidade que nosso corpo gera contra o vírus”, explica Cristina Galván Casas, que liderou o estudo.

A AEDV listou as cinco manifestações cutâneas mais comuns registradas nos pacientes:

  • Erupções máculo-papulares
Leia mais: Com dinheiro da Covid-19, União gasta R$ 5,3 mi em diárias e passagens

O tipo de lesão mais frequente, observado em 47% dos casos estudados. Ela foi observada em pacientes com caso mais grave da doença.

(AEDV/Reprodução)
  • Erupções parecidas com frieiras, em pés e mãos

Este tipo de lesão foi detectado em 19% dos casos, em pacientes mais jovens, nos estágios finais do processo da Covid-19.

(AEDV/Reprodução)
  • Erupções vesiculares

Observadas em 9% dos casos, associadas a uma gravidade intermediária da Covid-19. Mais frequentes em pacientes de meia-idade.

(AEDV/Reprodução)
  • Urticárias

As lesões urticariformes foram identificadas em 19% dos casos, principalmente no tronco ou espalhadas pelo corpo, e causam coceira. Elas foram observadas em pacientes que apresentaram uma manifestação mais grave da Covid-19.

(AEDV/Reprodução)
  • Necrose por obstrução vascular

Esta manifestação, chamada “Livedo-reticularis”, causa marcas na pele parecidas com uma rede. Ela foi observada em 6% dos casos e apareceram em pacientes mais velhos, com uma manifestação mais grave da doença. Neste grupo, a taxa de mortalidade é de 10%.

(AEDV/Reprodução)

O estudo ressalta que, na maior parte dos casos de manifestação cutânea por causa do vírus, não é necessário tratamento médico e as lesões podem desaparecer em poucos dias. Alguns casos mais raros precisam de tratamento e, neste caso, é recomendado que se faça uma consulta online com um centro de saúde ou um dermatologista.

Sofia Leão

Sofia Leão

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários