Home NotíciasBHKalil crava multa de até R$ 80 para quem não usar máscaras; ‘Ali tem um idiota’, diz sobre ‘desprotegidos’

Kalil crava multa de até R$ 80 para quem não usar máscaras; ‘Ali tem um idiota’, diz sobre ‘desprotegidos’

Kalil vai publicar decreto na sexta obrigando uso de máscara

Pessoas que não usarem máscaras poderão ser multadas, em Belo Horizonte, em até R$ 80. As multas passarão a ser aplicadas na semana que vem, conforme informou o prefeito Alexandre Kalil (PSD), em coletiva de imprensa, nesta terça-feira (5).

Até sexta-feira a capital deverá receber cerca de dois milhões de máscaras, que serão distribuídas à população. O uso do adereço já é obrigatório desde o dia 22 de abril e é importante na prevenção da Covid-19.

Leia mais: ‘Achei que o vírus fosse fake’, admite jovem antes de morrer por Covid-19

‘Idiotas’

“Queria deixar um recado, que seja interpretado como for. Toda vez que a gente olhar pra uma pessoa sem máscara, apesar que a lei vai vigorar semana que vem, temos que olhá-la como um idiota: ‘Ali tem um idiota’. Pois você vê como age uma pessoa que só pensa nela”, disparou.

A utilização da máscara por parte da população será fundamental para a flexibilização do isolamento social na capital, o que pode acontecer a partir de 25 de maio.

Leia mais: Idosa de 88 anos, com Alzheimer, é atacada por cachorro em BH

+ Kalil anuncia data para possível flexibilização do isolamento social em BH

“Todo mundo improvisa a máscara porque nós queremos cumprir o dia 25. Se fosse hoje, nós poderíamos cumpri-lo, mas não sabemos o que vai acontecer daqui praticamente 20 dias e sabemos a velocidade [da propagação da doença]”, disse.

A multa, apesar de não ter o valor ainda estabelecido, deverá chegar até R$ 80. O decreto sobre a determinação será publicado no DOM (Diário Oficial do Município) nos próximos dias com mais detalhes da punição.

Pacientes de outros lugares

Kalil confirmou que Belo Horizonte recebeu pacientes de outros estados para tratar da Covid-19 na capital. Segundo o prefeito, alguns vieram do Pará.

“O pessoal do Pará, se não me engano, está no [Hospital] Madre Teresa. Cinco pessoas vieram se tratar. Temos que olhar isso, se esta onda vai continuar. O que não podemos fazer é omissão de socorro. Se tem lugar, tem que colocar. É vida humana e não vamos colocar em avião e mandar de volta”, disse.

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários