Home NotíciasBHKalil diz que governo de Minas ameaça não pagar repasse da saúde: ‘Muito ajuda quem pouco atrapalha’

Kalil diz que governo de Minas ameaça não pagar repasse da saúde: ‘Muito ajuda quem pouco atrapalha’

Prefeito informou sobre o atraso no repasse em coletiva

O prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) disse, nesta terça-feira (5), que o governo de Minas Gerais está ameaçando não pagar a dívida do Estado junto à prefeitura. O valor é destinado à área da saúde.

Kalil afirmou que após o vereador Mateus Simões (Novo) ter sido empossado como o secretário-geral do Estado foi criado “o gabinete do ódio” contra a prefeitura. O governo foi procurado pela reportagem e afirmou que o acordo de pagamento “vem sendo cumprido conforme o estabelecido”.

Leia mais: Vereadores de BH querem aplaudir Bolsonaro por ‘atuação exemplar’ na pandemia

“Depois do secretário-geral, foi criado o gabinete do ódio contra a prefeitura, sem nenhum motivo. Ameaçaram não pagar a parcela que venceu ontem, mesmo sabendo que somos o centro da pandemia, o lugar que precisa de recurso. Nós estamos descolados do governo do Estado”, disse Kalil.

A dívida citada pelo prefeito é com relação ao repasse do governo do Estado para a saúde. “A dívida, se for paga em 36 meses, com correção que não abro mão, é de R$ 500 milhões”, citou. A falta do pagamento afeta as ações de combate à Covid-19 e nas demais necessidades da área. “Um valor como este impacta qualquer medida”, emendou.

Kalil já tem se movimentado para garantir o pagamento do repasse. “O presidente do PSD [partido que Kalil é filiado] está prestes a entrar no STF (Supremo Tribunal Federal) e exigir o pagamento. Não queremos impactar o governo mais do que está”, disse.

Leia mais: Polícia resgata irmãos em meio a fezes, comida estragada e mofo em Betim

O chefe do Executivo municipal citou ainda o “descolamento” das ações da prefeitura junto ao governo de Romeu Zema e pediu ajuda para as cidades do interior.

“Ajudando o interior estão protegendo Belo Horizonte. Não querer repassar a parcela da dívida é sabotar [a capital]. BH não vai conviver com gabinete do ódio. Repassem a dívida. Muito ajuda quem pouco atrapalha”, disse.

O que diz o governo?

O BHAZ tentou contato com o secretário Mateus Simões e não teve as ligações atendidas. Procurado pelo reportagem, o Governo de Minas disse que “o acordo firmado entre o Estado e a Associação Mineira de Municípios (AMM) vem sendo cumprido conforme o estabelecido”.

“Todas as prefeituras que assinaram o acordo já receberam as quatro parcelas das 33 a que têm direito”, informou em nota que pode ser lida abaixo.

Nota do Governo de Minas na íntegra:

“O governo de Minas Gerais esclarece que o acordo firmado entre o Estado e a Associação Mineira de Municípios (AMM) vem sendo cumprido conforme o estabelecido. Portanto, todas as prefeituras que assinaram o acordo já receberam as quatro parcelas das 33 a que têm direito.

Importante salientar que, mesmo não sendo signatária do acordo, a prefeitura de Belo Horizonte recebeu as três primeiras parcelas em função das tragédias ocasionadas pela chuva no início deste ano”.

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários