Home NotíciasBH‘Ajude o Seu Vicente’: Ex-alunos criam vaquinha para ajudar ‘Pipoqueiro do Marista’

‘Ajude o Seu Vicente’: Ex-alunos criam vaquinha para ajudar ‘Pipoqueiro do Marista’

Vicente é conhecido na regão da rua Lavras

Ex-alunos do Colégio Marista se mobilizam na web para ajudar o pipoqueiro que trabalha nas proximidades da unidade de ensino localizada na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Vicente Couto de 84 anos é considerado “patrimônio histórico” da escola, já que trabalha há anos na região. Devido à pandemia do novo coronavírus ele está, assim como outras pessoas, impossibilitado de trabalhar.

Leia mais: Lojas desrespeitam restrição do comércio e são fechadas no Buritis: ‘É um absurdo’

O advogado e ex-aluno do Marista Gustavo Vasconcelos conta ao BHAZ que a ideia surgiu em um grupo de WhatsApp. “A gente conversava sobre ajudar as pessoas que podem estar passando necessidade neste momento de pandemia. E aí recebemos uma mensagem que seria da filha do seu Vicente e nela pedia contribuição”, diz.

O receio de que a mensagem poderia ter partido de alguém que não conhecesse Vicente fez algumas pessoas ficarem com medo de doar. Assim surgiu a ideia da vaquinha. “Falei com o pessoal: ‘Se vocês estão com receio de depositar na conta informa, vou criar uma vaquinha e me comprometo a mandar todo valor arrecadado a ele”.

A meta estipulada por Gustavo é de arrecadar R$ 5 mil. Em um dia de campanha no ar, já foi conseguido mais de R$ 2,2 mil. “Tenho certeza que o valor vai aumentar. Seu Vicente é uma pessoa sensacional, de coração muito bom, de sorriso sempre no rosto”, lembra o advogado.

Leia mais: Covid-19: Carros poderão circular dentro de shopping em drive-thru inusitado; medida divide opiniões

Ainda falando um pouco mais sobre o pipoqueiro, Gustava volta aos tempos que estudava no Marista. “A pipoca dele é a melhor que tem. Quando a aula acabava a gente sempre comprava e levava até pros nossos familiares”.

Para Gustavo, Vicente é “patrimônio histórico” do Marista e explica. “Minha mãe estudou no colégio na década de 70 e ele já estava lá. É um patrimônio. Todos cultivam enorme carinho por ele”, conta.

Junto ao Grêmio Estudantil do Marista e com outros funcionários do colégio, Gustavo pretende conseguir o contato de Vicente. “Acredito que com a divulgação da vaquinha ficará mais fácil da gente encontrá-lo” e faz um apelo.

“Todos que estudaram no Marista ou já passaram pela rua Lavras sabem do carinho do Seu Vicente com cada um de nós. É momento de ajudarmos os mais simples. Quem puder contribuir será bom demais”.

Se você puder ajudar, basta clicar aqui.

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários