‘Onze filhos da p**’, diz Weintraub sobre ministros do STF em reunião citada por Moro

Weintraub atacou STF em vídeo de reunião (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Em depoimento à PF (Polícia Federal), o ex-ministro Sergio Moro afirma que em reunião ministerial, no dia 22 de abril, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria exigido a troca na superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. Neste mesmo vídeo, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, teria dito que o STF é composto por 11 “filhos da p**”.

O governo federal, representado pela AGU (Advocacia-Geral da União), quer entregar apenas um trecho do vídeo, alegando que no encontro foram tratados assuntos de segurança nacional. Outro motivo para evitar a divulgação, está o xingamento do ministro da Educação, depois de comentar medidas tomadas pelo STF que desagradaram o governo.

Além da pressão pela troca na Polícia Federal, segundo autoridades presentes, a reunião teve briga entre ministros, ataques à China e mais palavrões.

A Presidência tem até o fim desta sexta-feira (8) para cumprir a determinação do ministro Celso de Mello e entregar o vídeo na íntegra.

O ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto disse que  reuniões ministeriais muitas vezes tratam de assuntos de segurança nacional. “A reunião, ela não necessariamente é filmada. Ela não é como uma reunião na Câmara dos Deputados, que por lei tem que ser filmada. Ela não é filmada. Às vezes, você tem a câmera lá e ela filma, ela filma trechos, filma parte, às vezes não filma. O presidente fala: ‘Olha, não quero que filme, tá certo?’”, justificou o ministro.