Zema contradiz dados oficiais ao tentar desmentir baixa testagem em Minas

zema contradiz dados
Publicação do governador no Twitter vai de encontro às informações divulgadas pela Secretaria de Estado de Saúde (Gil Leonardi/Imprensa MG)

Por Cristiano Martins, do Coronavirus-MG.com.br

O governador Romeu Zema (Novo) foi às redes sociais na noite desta quinta-feira (7) para elogiar o desempenho de Minas Gerais na contenção do novo Coronavírus e tentar desmentir a baixa testagem de casos suspeitos de Covid-19. Um dos argumentos utilizados por ele, no entanto, contraria totalmente as informações publicadas pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

De acordo com os últimos dados disponíveis, 94.124 pacientes com a suspeita da doença não passaram por testes laboratoriais em Minas. Isso representa 89% do total de 105.744 notificações registradas até o momento no estado.

Para minimizar esse número, Zema argumentou que “nenhum estado testa assintomáticos”. O boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde, contudo, classifica um caso suspeito como “todo indivíduo com quadro respiratório agudo, notificado pelo serviço de saúde com suspeita de infecção humana pelo SARS-COV-2 – Doença pelo Coronavírus COVID-19”.

“Nenhum Estado testa assintomáticos. Somente são testados pacientes que buscaram auxílio hospitalar com sintomas. Como temos menos buscas por atendimento (o que é visível pelos nossos dados de ocupação hospitalar), menos exames são realizados”, publicou o governador.

Na última terça-feira (5), o Coronavirus-MG.com.br mostrou que Minas Gerais apresentava os piores índices de testagem do país, dentre todos os estados nos quais essa comparação era possível, tanto na taxa de testes por 100 mil habitantes quanto na proporção de exames feitos em relação ao total de notificações.

O levantamento revelou que a SES vem divulgando em média 130 resultados de testes por dia desde o fim de março, quando o próprio governador havia anunciado o aumento da capacidade para 1.800 exames diários. Zema garantiu que não há dados “mascarados” em Minas. Veja a publicação na íntegra: