Home NotíciasBHFuncionários da Vale com Covid-19 são transferidos para BH e Kalil avisa: ‘Aqui não é cemitério’

Funcionários da Vale com Covid-19 são transferidos para BH e Kalil avisa: ‘Aqui não é cemitério’

Pacientes estão vindo de Parauapebas

Belo Horizonte está recebendo pacientes vindos de outra partes do Brasil para tratar a Covid-19. A maioria deles são funcionários da mineradora Vale e vieram do Pará, conforme informou o prefeito Alexandre Kalil (PSD), em coletiva, nesta segunda-feira (11).

O chefe do Executivo municipal criticou a mineradora afirmando que Minas Gerais é o “cemitério preferido” da Vale, por conta dos rompimentos de barragens em Mariana e Brumadinho que mataram centenas de pessoas.

Leia mais: PBH começa a aplicar multa de R$ 100 para quem não usar máscara

“É muito importante que a imprensa saiba que Belo Horizonte está virando um grande importador de doentes”, disse. Segundo o prefeito, a capital mineira já recebeu cinco pacientes do Pará, dois de São Paulo e um do Rio de Janeiro e um do Espírito Santo.

Os pacientes vindos da região Norte do país trabalham na Companhia, na cidade de Parauapebas, e todos eles, incluindo os da região Sudeste, estão internados na rede privada de saúde da capital mineira. Kalil reforça que pretende frear a vinda destes pacientes.

“A Secretaria de Saúde está entrando em contato com a Anvisa pois parece que a Vale resolveu, realmente, que Minas Gerais é o cemitério preferido dela. A maioria [dos pacientes] vêm de Carajás, onde está a grande exploração do Brasil e do minério”, disse.

Leia mais: Cemitério de Juiz de Fora abre mais de 100 covas rasas em um mês

Kalil cobrou da Vale que ela faça investimentos no Pará, lugar onde explora. “Avisa a Vale que aqui não é cemitério. Se eles tiram dinheiro lá, que invistam lá, no Pará, por que eles têm muito dinheiro. São cento e tantos bilhões de lucro por ano no Brasil. Que tomem suas providência lá”.

Por meio de nota, (leia abaixo na íntegra), a Vale informou que oferece a seus empregados a oportunidade de transferência temporária para as suas bases de origem durante a pandemia. E que a medida permite aos empregados estarem mais próximos de seus familiares no período de isolamento. A Vale disse ainda que “antes de continuarem em trabalho remoto, eles passam por uma triagem de saúde e um período extra de quarentena preventivo”.

Há perigo de contaminação?

Para saber se a população de BH corre risco com a vinda de pacientes infectados pela Covid-19, o BHAZ conversou com o infectologista Leandro Curi. Mas o especialista esclarece que não há necessidade do temor e explica.

“Agora já estamos na fase de transmissão comunitária. Não faz muita diferença chegar um paciente de outra parte do Brasil para se tratar aqui. O único problema é a possível lotação do sistema de saúde que é destinado ao nosso cidadão. Mas risco de contaminação, não tem nenhum”, elucida.

Nota da Vale na íntegra

“A Vale oferece a seus empregados a oportunidade de transferência temporária para as suas bases de origem durante a pandemia do novo coronavírus. A medida permite aos empregados estarem mais próximos de seus familiares no período de isolamento, garantindo maior conforto e segurança. Importante esclarecer que, antes de continuarem em trabalho remoto, eles passam por uma triagem de saúde e um período extra de quarentena preventivo.

Além disso, a Vale presta toda a assistência médico-hospitalar a seus empregados, incluindo a possibilidade de Tratamento Fora de Domicílio (TFD) em centros de referência particulares para casos mais graves ou com possibilidade de agravamento. Estão incluídos neste grupo pessoas já internadas em hospitais, de acordo com protocolos estabelecidos entre as Secretarias Estaduais de Saúde dos Estados envolvidos.

Aos empregados que apresentam sintomas da COVID-19, sem tratamento hospitalar, a Vale determinou um protocolo extra de segurança que inclui quarentena em hotel com área isolada exclusivamente para este fim. Após o cumprimento do tempo de observação ou tratamento de saúde, o empregado é liberado para retornar a seu local de origem.

Importante ressaltar que o deslocamento até o aeroporto é feito por veículo exclusivo e que todos os empregados são transportados em aeronave própria e cumprindo os protocolos de distanciamento tanto no voo quanto no embarque e no desembarque. Além disso, todos os empregados são orientados a cumprir rigorosamente as medidas de quarentena e distanciamento social.

A Vale reforça que tem o compromisso de cuidar da saúde e da segurança de seus empregados, observando rigorosamente todos os protocolos exigidos pelo Ministério da Saúde.”

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários