Home NotíciasBrasilMédico diz que Bolsonaro pratica eugenia, método associado aos nazistas

Médico diz que Bolsonaro pratica eugenia, método associado aos nazistas

Médico Bolsonaro Eugenia

Durante uma entrevista concedida ao
canal TV Cultura, o médico do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da
Universidade de São Paulo, Arnaldo Lichtenstein, comparou as ações do
presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), à eugenia. A prática
associada ao nazismo prega uma melhoria da raça humana.

De acordo com o médico, quando o presidente minimiza as mortes de idosos e pessoas do grupo de risco em nome da economia e discursa contra o isolamento social e as medidas de contenção do vírus, ele se associa à prática do século passado.

Leia mais: Inscrições para o Sisu começam amanhã; 51 mil vagas serão oferecidas

“Quando as pessoas não defendem o isolamento, não se fecha o comércio, a economia não para e o governo não precisa colocar dinheiro na economia. As pessoas que vão morrer muitas são idosas e aí tem a fala de que muitos iam morrer mesmo, ou as pessoas que já têm doença, e vão ficar os jovens e atletas”, argumentou o médico.

“Se a gente pegar pedaços da fala, isso tem uma lógica intensa, isso chama eugenia. Lembrem-se de que sistema político mundial usava isso”, complementou, em referência ao regime nazista.

Arnaldo ainda disse que, além da descrença na ciência, o discurso é uma teoria perversa. “Então, quando se fala que morram os vulneráveis para termos uma geração saudável, pode ser que esteja permeando essa história de acabar logo com essa tortura e não ter um derretimento da economia. É uma coisa muito mais perversa do que simplesmente não acreditar na ciência, é outro tipo de teoria que pode ser muito pior do que isso”, disse.

Leia mais: ‘Cidadão não, engenheiro civil’: Fiscal é atacado ao controlar aglomeração no Rio

Pelas redes sociais, a fala do médico ganhou repercussão. Na manhã desta terça-feira (12), o termo eugenia, remetido à fala de Arnaldo, ocupava a lista de assuntos mais comentados do Twitter com cerca de 9 mil menções.

Comentários