Home NotíciasBrasilPassageira se recusa a usar máscara no metrô e diz que todos vão pegar Covid-19 ‘se for da vontade de Deus’

Passageira se recusa a usar máscara no metrô e diz que todos vão pegar Covid-19 ‘se for da vontade de Deus’

mulher trem máscara

Uma mulher se recusou a usar máscara dentro de um trem em Santo André (SP), no início da manhã dessa segunda-feira (11). Segundo a passageira, as pessoas pegariam o vírus de qualquer forma, caso fosse da “vontade de Deus”. Por ordem do Governo de São Paulo, os trens são um dos locais onde o uso de máscaras é obrigatório, como prevenção ao novo coronavírus.

Ao BHAZ, o publicitário Evandro Ribeiro da Silva, responsável pela filmagem, disse que a mulher já estava causando problemas antes mesmo de embarcar. “Estava entrando na estação e já vi a mulher discutindo com os guardas. Ela não queria colocar máscara, e começou a falar de Deus. Os guardas insistindo, e ela falando que não queria ser tocada, que estava no direito dela”, explica.

Leia mais: Cemitério de Juiz de Fora abre mais de 100 covas rasas em um mês

O publicitário conta que os guardas disseram que o trem não sairia enquanto a mulher não colocasse a máscara. “Eles [os guardas] disseram que ela atrasaria a viagem de todos os passageiros. Ela ficou meio revoltada, mas colocou a máscara e entrou no trem”.

Assim que o trem começou a andar, a mulher tirou novamente a máscara. “Algumas pessoas começaram a cochichar, dizendo que ela era louca. Um homem, que devia ter uns 40 anos, chamou os guardas na estação seguinte. Eles entraram e foi aí que comecei a filmar, já estava indignado com a situação”, continua.

Leia mais: Jornalista batiza Naja do DF de ‘Damares’ após enquete e ministra rebate

‘Orem a Deus’

No momento em que o guarda se aproxima, a mulher coloca a máscara. Quando ele deixa o trem, ela tira novamente e começa a falar para os outros passageiros: “Orem a Deus em vez de ficar se preocupando com máscara. Com máscara ou sem máscara, se for da vontade dele, ele vai levar. Não tem essa não”.

Evandro faz um desabafo sobre a situação. “O mundo inteiro passando por isso, pessoas morrendo e aparecem outras como essa mulher, com pensamentos tão ignorantes, colocando a religião no meio. Fiquei chocado, é uma sensação de impotência”, relata.

Medo

O publicitário precisa pegar o trem todos os dias para ir ao trabalho, e tem tomado todas as medidas de segurança. “Todo mundo tem obedecido, desde que foi obrigatório, todo mundo usando máscara. Eu fico com medo, a partir do momento que coloco o pé para fora de casa até voltar. Chego, tiro minha roupa na varanda e vou direto para o banho, para proteger minha família. Estão olhando para começar o home office na minha empresa”, completa.

O que diz a CPTM?

Por meio de nota, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) informou “lamentar a postura da passageira mostrada no vídeo” e disse que as ações de orientação para uso correto de máscaras serão reforçadas (veja na íntegra ao fim do texto).

CPTM/Divulgação

Uso obrigatório

Desde o último dia 3, em São Paulo, começou a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção em transporte público, táxis ou no interior de veículos que operam por meio de aplicativos como Uber, 99 e Cabify. A medida foi estabelecida como forma de conter o avanço das infecções por Covid-19 e se estende a motoristas, cobradores, trabalhadores de terminais e passageiros, conforme dispõe o Decreto n° 59.384.

No âmbito do transporte público, as regras são aplicáveis a funcionários e usuários do sistema de metrô, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), dos ônibus intermunicipais da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU) que circulam nas regiões metropolitanas e dos ônibus rodoviários fiscalizados pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

Nota CTPM na íntegra

“A CPTM lamenta a postura da passageira mostrada no vídeo. A obrigatoriedade do uso de máscaras no transporte público, regulamentada em Decreto Estadual, ajuda a garantir a segurança de todos os passageiros que compartilham o mesmo espaço público.

Os passageiros sem máscara são impedidos de entrar nas estações e se localizados sem o uso do equipamento nas plataformas ou dentro dos trens, as equipes das estações solicitam a colocação imediata e, em caso de recusa, o passageiro pode ser retirado do sistema. As equipes também orientam os passageiros como usar corretamente o equipamento, ação que será reforçada nas estações”.

Com Agência Brasil

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva da UOL.

Comentários