Home NotíciasCoronavírusPor ordem de Bolsonaro, Exército já fez mais cloroquina do que em 10 anos

Por ordem de Bolsonaro, Exército já fez mais cloroquina do que em 10 anos

exercito produz cloroquina

Uma das drogas testadas no mundo para tentar combater a Covid-19, a cloroquina ultrapassou o debate médico e virou questão política no Brasil após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) começar a defender o produto como esperança de cura. Discordâncias sobre a recomendação do uso mais amplo do remédio pelo Sistema Único de Saúde ajudaram a derrubar o ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta e colocam Bolsonaro e o agora também ex-ocupante do cargo, Nelson Teich, em rota de colisão.

+ Bolsonaro desautoriza Teich sobre cloroquina: ‘Eu que vou resolver’

Leia mais: Muito além da dieta: A importância da Nutrição para uma vida saudável

E se ainda não conseguiu interferir diretamente na política ministerial, Bolsonaro usou sua caneta para determinar que o Exército produzisse muita cloroquina: em três semanas após a determinação do presidente, foram feitos 1.250.000 comprimidos, que estão sendo enviados aos Estados.

+ Nelson Teich pede demissão do governo após menos de um mês no cargo; possível substituto já é apontado

É um aumento de 900% em relação aos 125 mil comprimidos que o Laboratório Químico Farmacêutico do Exército (LQFEx) costumava produzir em um ano inteiro, principalmente para consumo interno contra a malária.

Leia mais: Técnico de enfermagem do João XXIII morre de Covid-19 em BH

Leia a reportagem completa no Metrópoles, parceiro do BHAZ.

Comentários