Home NotíciasBHEm meio à pandemia, ‘peladas’ de futebol são flagradas em BH e região: ‘Imaturidade e irresponsabilidade’

Em meio à pandemia, ‘peladas’ de futebol são flagradas em BH e região: ‘Imaturidade e irresponsabilidade’

grupos pelada futebol covid 19

Mesmo com a restrição de atividades esportivas como medida para conter o avanço da Covid-19 em cidades mineiras, parte da população ignora a ameaça da doença e segue colocando sua saúde e a dos outros em risco. Quadras esportivas e campos de futebol estão funcionando, infringindo a lei, para que grupos de pessoas joguem futebol, as populares “peladas”. Um ato de irresponsabilidade e imaturidade, conforme especialistas.

Nessa quinta-feira (14), duas situações semelhantes foram flagradas na Grande BH. Primeiro, uma quadra em pleno funcionamento na cidade de Santa Luzia, na região metropolitana da capital. A Secretaria de Saúde do município disse que o local será autuado e fechado por descumprir as leis.

Leia mais: Idoso estupra criança e coloca a culpa na cachaça: ‘Estava de fogo’

O segundo caso aconteceu no “campo do Manchester”, no bairro Rio Branco, na região Norte de BH. Moradores da região acionaram a Guarda Civil Municipal por conta de uma partida de futebol amador que acontecia na região. Os guardas precisaram dispersar os irresponsáveis.

De acordo com a guarda, “nenhum boletim foi registrado, uma vez que a população acatou a solicitação”, disse a corporação.

Guarda Civil Municipal foi acionada por conta de partida de futebol em campo de BH (Reprodução/Whatsapp)
Leia mais: Estudantes com Fies podem suspender parcelas no BB a partir de hoje

Segundo o médico infectologista Carlos Starling, que faz parte do Comitê de Enfrentamento à Pandemia do Covid-19 em Belo Horizonte, esse tipo de comportamento coloca a saúde em risco por conta de uma diversão.

“O futebol reúne, pelo menos, 10 pessoas em uma quadra e 22 pessoas em um campo. Todas no mesmo espaço, suando, correndo, se esbarando, falando e ofegantes. É exatamente tudo que não deve ser feito em um momento que se prega o distanciamento social. É uma irresponsabilidade. O futebol quebra distanciamento, tanto é que futebol profissional está parado”.

O especialista alerta para o risco
de infecção. “Durante uma atividade física, como o futebol, a transmissão
ocorre muito rápido. Uma pessoa contaminada pode contaminar todas as outras
dentro de duas semanas jogando futebol, devido à alta frequência de contato das
pessoas”, explica.

Santa
Luzia

O vídeo registrado em Santa Luzia
foi feito na “Quadra do Ribas”, localizada no bairro São Benedito. Procurada, a
secretária de saúde do município, Nádia Cristina Duarte, disse que a prática
está proibida na cidade e que o local deve ser autuado e fechado.

“As manifestações esportivas, de festa, como casamentos, continuam suspensas. Não houve mudança neste sentido. A prefeitura vai reforçar a fiscalização, principalmente após o entendimento de que o primeiro óbito está relacionado à flexibilização, nós vamos ter que colocar polícia e fiscalização em todo canto da cidade, já que a população não tem maturidade”, diz a secretária.

O dono da quadra disse que não sabia da proibição e alega que, somente depois que for comunicado oficialmente, fechará o estabelecimento. “Eu não sabia, achei que o prefeito tinha liberado todos os comércios a funcionar. Agora que estou sabendo disso, vou entrar em contato com a prefeitura, e se for verídico eu vou fechar”, disse o homem que se identificou apenas como “Dinga”.

A secretária de saúde acredita que há uma descrença em relação ao perigo da doença. “As pessoas continuam sem acreditar na doença, acham que é coisa de televisão que nunca vai chegar aqui. Mania de brasileiro que acha que coisa de ruim acontece sempre com o vizinho e não com ele”, diz Nádia.

Rafael D'Oliveira

Rafael D'Oliveira

Repórter do BHAZ desde janeiro de 2017. Formado em Jornalismo e com mais de cinco anos de experiência em coberturas políticas, econômicas e da editoria de Cidades. Pós-graduando em Poder Legislativo e Políticas Públicas na Escola Legislativa.

Comentários