Home NotíciasCoronavírusCovid-19 atinge quase 40% das cidades de Minas; SES descarta testagem em massa

Covid-19 atinge quase 40% das cidades de Minas; SES descarta testagem em massa

covid minas testagem

Dos 853 municípios de Minas Gerais, pelo menos 327 já registram casos de Covid-19 – o que corresponde a 38,3% das cidades. Neste contexto, o secretário de Estado de Saúde Carlos Eduardo Amaral reforçou, nesta segunda-feira (18), a importância do uso de máscaras para que a pandemia seja contida na região.

Em entrevista coletiva, o secretário esclareceu a função das máscaras, pediu que a população não deixe de usá-las e divulgou o cenário da Covid-19 em Minas Gerais. Carlos Eduardo Amaral demonstrou otimismo da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde) em relação à atuação de Minas no combate à doença e justificou a baixa testagem.

Leia mais: Cemitério de Juiz de Fora abre mais de 100 covas rasas em um mês

Segundo a SES-MG, o pico da Covid-19 em Minas Gerais ainda é esperado no dia 9 de junho, segundo previsão do governo. Os mais novos números oficiais divulgados pela pasta são:

  • 161 óbitos (aumento de 3% em relação ao último boletim)
  • 2280 casos em acompanhamento (aumento de 3,5%)
  • 903 casos confirmados (aumento de 1,8%)
  • 2254 casos recuperados (aumento de 2 casos)

Testagem

Leia mais: BH terá ciclovia provisória de 30 km durante a pandemia

O secretário de Estado de Saúde reforçou que, apesar da doença estar se alastrando, a pasta não pretende realizar testagens em massa. Atualmente, Minas Gerais tem a segunda menor taxa de testes para coronavírus por habitante no Brasil, atrás apenas do Rio, segundo levantamento do G1.

“É importante nos preservarmos e acompanharmos esses exames para que não faltem no futuro. Ainda temos poucos casos, não há sobrecarga no sistema de saúde. Não me parece nada razoável, nem de bom senso, nem oportuno, nós sairmos testando todo mundo e correr o risco de comprometer a testagem no futuro”, justificou Carlos Eduardo Amaral.

Segundo o secretário, a testagem em Minas Gerais “está adequada e o Estado tem bons resultados até o momento”. A pasta justifica a baixa testagem como forma de precaução para que não faltem exames no futuro, caso o sistema de saúde precise de um alto número de testes.

Carlos Eduardo Amaral também listou os critérios que estão sendo usados para que as pessoas sejam testadas: a recomendação da SES é de testar casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) hospitalizados; óbitos suspeitos de Covid-19; profissionais de saúde e de segurança pública sintomáticos e público privado de liberdade e adolescentes que cumprem medidas restritivas que apresentarem sintomas.

O secretário também acrescentou que, em casos de surtos em unidades fechadas, como asilos e hospitais, é recomendada uma testagem mais ampla. Também há recomendação de testagem para casos de Síndrome Gripal em pessoas hospitalizadas.

Covid-19 em Minas

De acordo com a SES-MG, a média de idade dos casos confirmados de Covid-19 no Estado é de 44 anos. Entre as mortes, a média de idade das vítimas é de 69 anos e 89% delas tinha alguma comorbidade. O fator de risco mais comum entre os óbitos é a hipertensão: 70 vítimas da Covid-19 em Minas tinham a doença.

A média de idade das vítimas é de 69 anos (SES/Reprodução)

Em boletins anteriores, foi registrada uma discrepância na contaminação de homens e mulheres, e o número de casos de Covid-19 em Minas Gerais era maior entre homens. No boletim desta segunda-feira (18), os casos estão mais equilibrados: são 2262 casos confirmados entre mulheres e 2272 entre homens. 87 homens e 74 mulheres morreram pela doença.

A contaminação entre homens e mulheres está equilibrada (SES/Reprodução)

Síndrome Respiratória Aguda Grave

O Estado de Minas Gerais registra, até esta segunda-feira, um incremento de 601% nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave em relação ao mesmo período em 2019. Em 2020, 9418 casos de SRAG foram registrados no Estado.

Hospitalizações por SRAG cresceram em relação ao ano passado (SES/Reprodução)
Sofia Leão

Sofia Leão

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários