Home NotíciasCoronavírusNova doença misteriosa afeta crianças e OMS emite alerta; condição pode estar associada à Covid-19

Nova doença misteriosa afeta crianças e OMS emite alerta; condição pode estar associada à Covid-19

oms alerta nova doenca criancas

A OMS (Organização Mundial da Saúde) emitiu um alerta para que profissionais da saúde ao redor do mundo prestem atenção a uma nova síndrome inflamatória que está afetando crianças e adolescentes. Em comunicado feito na última sexta-feira (15), a organização informou que a inflamação pode estar relacionada à Covid-19.

Segundo a OMS, a ligação com o vírus ainda não foi comprovada, mas a doença, chamada de síndrome multi-inflamatória, é grave e, sem o tratamento adequado, pode matar.

Leia mais: Ministro recebe defensores do uso de ozônio pelo ânus para tratar Covid-19

Os sintomas são semelhantes aos da Síndrome de Kawasaki e da síndrome do choque tóxico. Entre eles, estão problemas cardíacos, problemas de coagulação no sangue, dores abdominais, vômito e diarreia.

Relação com a Covid-19

Segundo a OMS, a hipótese de que a nova síndrome pode estar relacionada à ocorrência do coronavírus surgiu após a observação dos sintomas em pacientes entre 0 e 19 anos que precisaram de tratamento intensivo para se recuperar do vírus.

Leia mais: Homem acusado de estuprar e matar amiga depois de festa é condenado

A possibilidade ganhou força após testes iniciais em laboratórios mostrarem resultado positivo para a maioria dos casos analisados.

Diagnóstico

No comunicado, a organização informou também que ainda não há nenhum fator que justifique a distribuição geográfica da nova síndrome – com casos notificados majoritariamente na Europa e na América do Norte, mas que é importante estar atento.

“Ainda não está claro o espectro completo da doença e se a distribuição geográfica reflete um padrão verdadeiro ou se a condição simplesmente não foi reconhecida em outros lugares”, pontua o documento. A organização elaborou um guia de diagnóstico preliminar, com base nas observações feitas em laboratório, para orientar equipes médicas de diversos países.

Para garantir a classificação correta da nova doença, a organização defende a necessidade urgente de notificação dos casos.

Giovanna Fávero

Giovanna Fávero

Estudante de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Escreve com foco na área de Guia e Cultura no BHAZ.

Comentários