Home NotíciasBHCovid-19: Parte da população será testada para definir reabertura em BH

Covid-19: Parte da população será testada para definir reabertura em BH

população teste coronavírus BH

A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) vai realizar, a partir desta terça-feira (19), testes da Covid-19 em parte da população. O objetivo é mensurar quantas pessoas da capital já tiveram contato com o vírus. A ação tem o objetivo de definir os rumos da reabertura da economia na capital.

Os exames serão realizados em pessoas mais expostas à doença como trabalhadores da saúde, funcionários do transporte público e quem atua no comércio essencial. A expectativa é testar 30 mil pessoas por milhão de habitantes.

Leia mais: ‘Achei que o vírus fosse fake’, admite jovem antes de morrer por Covid-19

“Com o resultado, vamos conseguir verificar como está a circulação do vírus e a imunidade desses segmentos da população que exercem atividades essenciais. Nossa expectativa é testar 30 mil habitantes por milhão, o dobro do que foi realizado na Coreia do Sul”, explica o secretário municipal de saúde, Jackson Machado Pinto.

O mandatário do Executivo da capital. Alexandre Kalil (PSD), revelou nessa segunda-feira (18) que já tem uma data para bater o martelo sobre o distanciamento social. Na próxima sexta-feira (22), a administração municipal vai definir se a cidade passará pela flexibilização do comércio ou se será imposto um confinamento mais rigoroso, o chamado lockdown.

+ Kalil volta a exaltar ciência, agradece universidades e crava data para determinar rumo de BH: ‘Não sou canalha’

Leia mais: Técnico de enfermagem do João XXIII morre de Covid-19 em BH

“Quero deixar claro que temos um rumo, que é a ciência. Se o Comitê de Enfrentamento à Epidemia da Covid-19 determinar que é lockdown, está determinado e vou ter que vir pra cá anunciar”, informou Kalil, ao citar a próxima sexta como data desse anúncio. “Mas temos uma chance muito grande de começar a flexibilização gradual responsável e científica a partir da segunda (25) que vem. Depende do comportamento da população”, ponderou.

Como
será feito

De acordo com a prefeitura o teste
seguirá a seguinte ordem:

  • Profissionais de saúde das redes pública e
    privada,
  • Trabalhadores do transporte coletivo
  • Atendentes e caixas de supermercados, padarias,
    farmácias e drogarias da capital.

Pessoas com sintomas da doença serão
testadas para verificar a presença de anticorpos.  A testagem será realizada por três vezes, com
intervalo de 14 dias, para comparação da presença dos anticorpos e, por
consequência, a intensidade de transmissão da doença nesses segmentos.

Em relação aos profissionais de saúde, nessa primeira fase, serão testados: médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas e cirurgiões dentistas de hospitais públicos e privados, além de trabalhadores das Upas (Unidades de Pronto Atendimento) e Centros de Saúde.

O modelo de testes em BH foi
aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa. No entanto, a testagem só será
realizada em pessoas que assinarem um Termo de Consentimento Livre e
Esclarecido.

A coleta de sangue será feita no local onde a pessoas trabalha e, além disso, todos os testados deverão responder a um questionário com dados de identificação e sintomas. As informações são sigilosas e os participantes testados receberão orientações conforme o resultado dos testes.  

Cuidado
com o golpe!

A Secretaria Municipal de Saúde informou que não realiza testes para Covid-19 em domicílio sem marcação prévia. A pasta orienta a população a ficar atenta a golpes com argumentos falsos para ter acesso à residência das pessoas.

“O inquérito sorológico previsto para iniciar na semana que vem será realizado em sua primeira etapa com profissionais de saúde no próprio local de trabalho – hospitais públicos ou privados. Os outros grupos que farão parte dessa pesquisa, nas etapas seguintes, também não serão abordados em casa”, informou a secretaria.

Barreiras
sanitárias

Desde ontem (18), 10 barreiras sanitárias estão em funcionamento em BH. Apesar do pouco tempo da ação, 27 foram abordadas com sintomas do novo coronavírus quando paradas pela fiscalização da capital.

+ Barreiras sanitárias detectam 27 casos suspeitos de Covid-19 em BH, mas podem não ser mantidas

O secretário de saúde de BH
ressaltou os resultados, mas disse que as barreiras ainda estão em avaliação. “Ainda
não temos respostas, estamos aprendendo com a pandemia. Até o final da semana
saberemos se trouxe benefício ou não. Se tiver, vamos continuar”, disse Jackson
Machado.

As dez barreiras estão nos seguintes
endereços:

  • Avenida Amazonas, próximo ao Viaduto do Anel
    Rodoviário
  • Carneiro
  • Avenida Civilização, próximo à Rua dos Menezes
  • Avenida Dom Pedro I, próximo à Rua Bernardo
    Ferreira da Cruz
  • Avenida Cristiano Machado, próximo à Rua das
    Gabirobas
  • Avenida José Cândido da Silveira, no trecho
    entre a MG-05 e Rua José Moreira Barbosa
  • Rua Jornalista Djalma Andrade, próximo à Avenida
    Dr Marco Paulo Simon Jardim
  • Avenida Raja Gabaglia, próximo à Rua Parentis
  • Avenida Nossa Senhora do Carmo, no trecho
    Belvedere
  • Rua Haiti, no trecho entre a Avenida Presidente
    Eurico Dutra e Rua Patagônia
  • Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, próximo
    à Rua Conde Pereira

Coronavírus
em BH

De acordo com boletim divulgado nessa segunda (18), Belo Horizonte é a cidade mineira mais afetadas pela propagação da Covid-19. Ao todo, são 1.189 casos confirmados da doença e 31 mortes. A cidade tem ainda com 156 casos em acompanhamento e mil recuperados.

Com PBH

Rafael D'Oliveira

Rafael D'Oliveira

Repórter do BHAZ desde janeiro de 2017. Formado em Jornalismo e com mais de cinco anos de experiência em coberturas políticas, econômicas e da editoria de Cidades. Pós-graduando em Poder Legislativo e Políticas Públicas na Escola Legislativa.

Comentários