Zema anuncia parcelamento de repasses para Poderes: ‘Esforço precisa ser dividido’

Zema concedeu entrevista coletiva para falar de parcelamento (Vitor Fórneas/BHAZ)

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), informou que vai parcelar os recursos dos Poderes Legislativo e Judiciário fazendo uma espécie de “adequação do fluxo de pagamento”. O anúncio ocorreu após reunião com os chefes dos Poderes no BDMG, na região Centro-Sul de BH, nesta quinta-feira (21).

“Lembramos que a crise não é eterna. O que propus não é redução de valor [dos duodécimos], mas adequação no fluxo de pagamento. Aquilo que não pagarmos ficará para o mês seguinte, até a pandemia passar e o Estado recuperar arrecadação”, disse Zema.

O governador explicou que, por conta da pandemia do novo coronavírus, Minas Gerais teve um prejuízo no caixa devido à queda de ICMS. “Em abril foi de R$ 1 bilhão e maio próximo dos 2 bilhões”, afirmou.

Segundo Zema, o fechamento das contas de abril só ocorreu por conta de um crédito recebido do antigo banco BEMGE (Banco do Estado de Minas Gerais). “Fechamos as contas em abril, pois recebemos R$ 782 milhões de um crédito do antigo banco BEMGE. Neste mês de maio só conseguimos fechar, pagando duodécimos e folha do Executivo, devido recebimento que caiu ontem, R$ 1 bilhão proveniente de depósito judicial feito pela Vale que entrou como medida compensatória para os cofres do Estado”.

Zema disse ter compartilhado no encontro a preocupação do governo para honrar os pagamentos do próximo mês. “Compartilhei de forma antecipada nossa preocupação para junho. De acordo com os números, devemos ter grande dificuldade para fechar contas, já que não teremos a sorte de receitas extraordinárias. Os Poderes entenderam a questão do Estado e estão dispostos, juntos do Executivo, a participar do esforço para passar essa dificuldade”, contou.

Ajuda federal

A partir de junho ,o governo federal vai repassar valores para os estados, o que irá ajudar, mas não resolver o problema financeiro de Minas. “Serão quatro parcelas de R$ 748 milhões cada. Essas parcelas ainda não tem data certa [para chegar], mas não serão suficientes para cobrir rombo nos próximos meses”, disse o governador.

‘Esforço dividido’

Zema afirmou ainda que conta com a compreensão de todos neste momento de crise. “Seria muito fácil falar que não ia pagar, mas o esforço precisa ser dividido. É como se eu fosse um pai de família com três pães e cinco filhos, ou dou o pão para três e dois ficam sem comer, ou divido para todos”, exemplificou. “Continuo muito otimista pois Agostinho [Patrus, presidente da ALMG] tem se mostrado sensível e aí sim vamos resolver problemas financeiros”, acrescentou.

Uma nova reunião deve ocorrer no dia 15 de junho para acertar os detalhes dos pagamentos para os Poderes.

Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.