Policial mata homem negro e gera onda de protestos em cidade dos EUA: ‘Fogo nos racistas’

policial sufoca homem negro
Delegacia foi incendiada por manifestantes (@QuebrandoOTabu/Twitter/Reprodução + @J_LIVRES/Twitter/Reprodução)

A morte de um homem negro gerou uma onda de revolta em Minnesota, nos Estados Unidos. Um vídeo mostra que um policial branco se ajoelhou em cima do pescoço do homem até matá-lo sufocado. A vítima diz várias vezes que não consegue respirar, mas o agente não diminui a força.

Segundo a BBC, a polícia alegou que o homem, George Floyd, estava sendo detido após uma denúncia de que ele usava cartões falsos em uma loja. Dois policiais localizaram o suspeito em um veículo e afirmam que ele “parecia estar intoxicado”.

Segundo a versão da polícia, Floyd resistiu no momento da abordagem. “Os policiais conseguiram algemar o suspeito e notaram que ele parecia estar sofrendo de problemas médicos”, informou, por meio de comunicado.

No entanto, um vídeo de 10 minutos filmado por uma testemunha, mostra que o policial mantém Floyd no chão mesmo após os pedidos de socorro do homem. “Não me mate”, diz ele, em certo momento.

Pessoas ao redor pedem também ao policial que saia de cima de Floyd. Alguns observam que ele para de se mexer em um certo momento, outros notam que ele estaria com o nariz sangrando.

O prefeito se manifesta

O prefeito da cidade de Minneapolis, Jacob Frey, disse, em entrevista a emissora CBS, que Floyd “foi morto porque ele era negro”. Quando perguntado se acreditava que o incidente havia sido um assassinato, Frey respondeu afirmativamente. “Eu não sou um procurador, mas vou ser claro: o oficial de segurança matou alguém”, declarou.

“Ele estaria vivo hoje se ele fosse branco. Os fatos que eu vi, que são o mínimo, certamente me levam ao caminho que a raça estava envolvida. Eu não sei se tinha racismo implícito ou explícito envolvido, mas racismo está envolvido – vamos ser bem claros”, continuou.

Após a repercussão do vídeo, os quatro oficiais da polícia de Minneapolis envolvidos na morte de George Floyd foram demitidos.

A reação

A frase dita por Floyd no vídeo, “eu não consigo respirar”, também foi a mesma proferida em outro caso de racismo por policiais. Em 2014, Eric Garner, um homem negro desarmado disse a frase 11 vezes após ser detido por policiais e sufocado até a morte.

Desde a morte de Garner, a frase se tornou um grito de guerra contra as mortes de negros por policiais. Com o caso de Floyd, as ruas de Minneapolis foram tomadas por protestos. Uma delegacia da cidade chegou a ser incendiados pelos manifestantes.

Outras figuras públicas também repudiaram a ação dos policiais e clamaram por justiça. Também no Brasil, o caso tem tido bastante repercussão. “Mais uma vítima do racismo e da brutalidade policial. Até quando?”, escreveu a ex-deputada Manuela Dávila.

Guilherme Gurgel
Guilherme Gurgelguilherme.gurgel@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.