Covid-19: Mesmo com aumento de casos, PBH decide manter comércio como está; ‘Correndo o risco’, diz Kalil

reabertura bh
Prefeito anunciou que reabertura será mantida (Amanda Dias/BHAZ)

Com Rafael D’Oliveira

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), anunciou que a reabertura gradual do comércio na capital está mantida e não haverá recuo a partir da próxima segunda (15). Na sede da PBH (Prefeitura de Belo Horizonte), nesta sexta (15), como tem sido semanalmente, o prefeito disse que os números sustentam a reabertura que mantém, até o momento, 93% da cidade ativa.

“Perante os números, que obviamente cresceram por uma decisão de abertura da prefeitura, não podia esperar que diminuíssem logicamente. Mas, conversei demoradamente com todos os secretários e grupos e que conseguimos a vitória de não voltarmos atrás, vamos manter a cidade como ela está hoje”, disse.

O prefeito disse ainda que a gestão dele vai assumir os riscos e manter o atual funcionamento do comércio. “Diante da compreensão e da linha que estamos tomando até hoje, determinamos que precisamos de mais um tempo para que a gente continue no controle da situação. Em alguns lugares há um descontrole muito grande, isso nos preocupa, pois sabemos a importância da capital. Vamos manter [a reabertura] correndo os riscos e esperando a queda dos números”, acrescentou.

Além do prefeito, estiveram na coletiva o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, e membros do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da PBH.

Próxima fase

Sem recuo, mas também sem avanço. Mesmo sem fechar a cidade novamente a PBH ainda não definiu quando será anunciada a próxima etapa de reabertura na capital. “Essa reabertura depende dos índices. Nós Estamos com medo, esperamos que eles caiam, estamos doido para reabrir a cidade, mas para isso é preciso que os números diminuam”, disse o secretário Jackson Machado.

O prefeito anunciou que na próxima semana, a PBH vai se reunir com setores afetados como a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) que acionou a prefeitura na Justiça pedindo pela reabertura dos bares e restaurantes. No entanto, ainda não há previsão para a reabertura.

Histórico

Desde o dia 20 de maio, a prefeitura adotou o que chama de “flexibilização intermitente”, que funciona como uma gangorra: caso os números de contaminação da capital melhorem, a flexibilização aumenta; se piorar, fecha tudo novamente.

Desde então, a prefeitura teve apenas uma parada na flexibilização, no dia 29 de maio, quando os índices de ocupação de UTIs (Unidade de Terapia Intensiva), leitos de enfermaria e o índice de transmissão (R0).

Na última sexta (5), Kalil havia anunciado mais uma etapa da reabertura do comércio na capital: ficou autorizado o funcionamento de lojas de calçados, artigos esportivos, decoração, plantas, tabacaria, dentre outros.

Confira a relação do que pode funcionar na cidade:

  • Artigos usados
  • Artigos esportivos, de camping e afins
  • Calçados
  • Artigos de viagem
  • Artigos de joalheria
  • Souvenirs, bijuterias e artesanatos
  • Plantas, flores e artigos para animais (exceto comércio de animais vivos)
  • Bebidas (sem consumo no local)
  • Instrumentos musicais e acessórios
  • Objetos de arte e decoração
  • Tabacaria, Armamentos, Lubrificantes

Importante ressaltar que todos os comércios liberados anteriormente continuam com a permissão para funcionar. Estão nesse grupo os considerados essenciais, que desde o princípio podem funcionar; e os que compuseram a chamada primeira onda de flexibilização.

Os segmentos dessa primeira onda são:

DOM/Reprodução

Os considerados essenciais são:

DOM/Reprodução

Reforce a proteção contra o vírus

A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) orienta que a população tome algumas medidas de higiene respiratória para evitar a propagação da doença, são elas:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Escreve com foco na área de Guia e Cultura no BHAZ.