Documentos alertam para colapso do sistema de saúde de MG nesta quinta-feira

De acordo com o promotor, Minas enfrente o momento mais crítico no combate à pandemia de Covid-19 (Amanda Dias/BHAZ)

Com o aumento dos casos e o agravamento da situação da Covid-19 em Minas, estudos e projeções apontam que o sistema de saúde do Estado pode entrar em colapso, já nesta quinta-feira (25).

As informações estão no Relatório da (SES-MG) Secretaria de Estado da Saúde. O documento é validado pelo (CAO) Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça da Defesa da Saúde, do Ministério Público de Minas Gerais. A projeção mostra que a necessidade de leitos será superior à quantidade existente e possivelmente a situação ficará mais crítica entre os meses de julho e agosto, período previsto para o pico da pandemia em Minas. Confira o estudo na íntegra aqui.

O MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) fez um alerta para a população do Estado sobre o agravamento da situação. Em um vídeo publicado pelo MPMG na sexta-feira (19), o promotor de Justiça Luciano Moreira reforça a preocupação com o crescimento exponencial de casos e com um possível colapso do sistema de saúde nas próximas semanas.

“Neste momento, estamos iniciando o período mais crítico de enfrentamento à pandemia em Minas Gerais. O crescimento do número de casos, a carência dos anestésicos necessários para a intubação de pacientes, e a aproximação do pico da pandemia para as próximas semanas podem nos conduzir a uma situação de colapso, ou seja, a necessidade por leitos superar os recursos existentes”, afirma.

O promotor Luciano Moreira, coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa da Saúde (CAOSaúde), reforça que o MPMG acompanha, desde janeiro, as políticas públicas voltadas ao combate à pandemia e atua em apoio aos gestores públicos.

No vídeo, ele reforça o pedido de que o isolamento social seja mantido pela população e também pede que os empresários cumpram as determinações do poder público. “Se o número de casos continuar crescendo na proporção que está, todo o esforço de distanciamento social, os sacrifícios econômicos e todos os recursos empregados até agora terão sido em vão”, completa.

O promotor ainda ressalta que, caso as orientações não sejam seguidas, o colapso já pode começar nesta semana. “Temos que evitar que já na próxima semana [desta segunda-feira (22)] tenhamos óbitos por desassistência, ou seja, porque as pessoas não tiveram acesso a um leito hospitalar”, finaliza.

Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.