Home NotíciasCoronavírusCovid-19: Governo projeta vacina para junho de 2021 e inicia processo para abrir hospital de campanha

Covid-19: Governo projeta vacina para junho de 2021 e inicia processo para abrir hospital de campanha

coronavírus hospital campanha

O Governo de Minas Gerais, por meio da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde), afirmou nesta segunda-feira (29) que uma vacina para a Covid-19 só deverá ser disponibilizada para a população em maio ou junho do ano que vem. O hospital de campanha localizado no Expominas, que ainda não começou a ser utilizado, já está tendo protocolos para que sua operação seja iniciada quando necessário, segundo a SES-MG.

Os anúncios foram feitos durante coletiva desta segunda-feira (29). O Secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, projetou que, dados os protocolos pelos quais uma vacina precisa passar, o antídoto só deve chegar em Minas ano que vem. “O que se vê normalmente quando se começa a desenvolver uma vacina para vírus, é que elas demoram pelo menos 18 meses, entre o desenvolvimento e elas estarem efetivamente disponíveis para a população como um todo. Temos primeiro o desenvolvimento, os testes em pequena escala, depois em maior e, depois, efetivamente a produção”, explicou.

Leia mais: Covid-19: Aumento de casos e relaxamento de medidas sanitárias ‘brecam’ flexibilização do comércio em BH

“Quando nós vemos essa epidemia, que começou em janeiro, é possível esperarmos que essa vacina chegue somente no inverno do ano que vem, por volta de maio ou junho de 2021. Antes disso, do ponto de vista de uma vacina para toda a população, é pouco provável que tenhamos”, completou o secretário.

Hospital de campanha

Durante a coletiva, o secretário adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, foi questionado sobre os hospitais de campanha e o motivo de ainda não terem sido utilizados. “Ainda não começamos a usar os hospitais de campanha, pois temos ampliado os leitos de UTI, é muito mais proveitoso neste momento”, inicia Marcelo.

Leia mais: Homem agride e estupra companheira surda; vizinha flagra momento

“Sabemos que o hospital de campanha, desde o começo, foi o pedido como uma estrutura de reserva. Já iniciamos, como é de conhecimento público, as providências administrativas e legais para viabilizar o funcionamento daquela estrutura, que servirá como apoio da rede Fhemig (Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais)”, explicou o Secretário Adjunto de Saúde.

Em último boletim epidemiológico divulgado pela SES-MG, nesta segunda-feira, Minas já conta com 43.864 casos confirmados, e 940 mortes. Belo Horizonte registra 5.310 infecções e 130 óbitos.

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva da UOL.

Comentários