Home NotíciasBHKalil confirma pré-candidatura e critica uso político da pandemia

Kalil confirma pré-candidatura e critica uso político da pandemia

kalil anuncia pre candidatura

A poucos meses do período previsto para as eleições municipais, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) confirmou que é pré-candidato à reeleição para continuar liderando a administração pública de Belo Horizonte. Além da confirmação da pré-candidatura, feita entrevista à GloboNews neste domingo (28), o mandatário também comentou o retorno da flexibilização do comércio à estaca zero e criticou as figuras públicas que usam a pandemia para benefício político.

Durante o debate com prefeitos de outras capitais do país, Kalil comentou a possibilidade de adiamento das eleições para o dia 15 de novembro – medida que vem sendo discutida no Legislativo – e anunciou que vai concorrer. “Como candidato a reeleição, vou, por coerência, aceitar tranquilamente [a decisão do adiamento], desde que seja um ato científico”, disse, reforçando a importância de se recorrer à ciência para definir medidas durante a pandemia.

Leia mais: Venda Nova é a regional com maior número de morte por Covid-19 em BH

Apesar de mencionar que vai concorrer à reeleição, Kalil não se estendeu no assunto e criticou os políticos que, segundo ele, se aproveitam das oportunidades geradas pela pandemia para benefício próprio: “Além do vírus, nós temos os políticos que são os parasitas do vírus. Estão fazendo política sobre cadáveres”.

Oportunidade perdida

Durante a entrevista, o prefeito também comentou a decisão de retornar a flexibilização do comércio na capital à estaca zero a partir de hoje (veja detalhes aqui). Segundo ele, a flexibilização foi muito discutida e só aconteceu quando os profissionais responsáveis avaliaram que seria viável. “Não adianta você querer ‘sentar em cima’ do que o virologista quer. O virologista quer que todo mundo fique trancado em casa até que se distribua a vacina, então você tem que trazer pra mesa Secretário de Fazenda, Secretário de Planejamento… Tem que trazer toda uma equipe que debata o assunto com coerência”, pontuou.

Leia mais: Homem é preso suspeito de estuprar enteada de 12 anos em Betim

Foi justamente com essa equipe que o prefeito considerou que seria possível implementar as primeiras etapas da flexibilização – que permitiram que mais de 90% da atividade comercial na capital funcionasse – há algumas semanas. “Com probabilidade estatística, com matemática, com ciência, com os virologistas, eles nos falaram: ‘Olha, nós temos uma oportunidade de tentar uma flexibilização controlada sem cair em colapso’. Ora, nós não podíamos perder uma oportunidade dessas”, explicou.

No entanto, na avaliação do prefeito, parte da população da capital não soube aproveitar essa oportunidade e, por isso, a flexibilização do comércio regrediu: “Nós tivemos uma oportunidade que foi mal aproveitada pela população, porque falamos que abrir não era passear e muita gente foi passear, muita gente anda sem máscara. Infelizmente acontece isso e aquele que tem responsabilidade, empatia, consciência paga o preço por essa minoria irresponsável”, finalizou.

Giovanna Fávero

Giovanna Fávero

Estudante de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Escreve com foco na área de Guia e Cultura no BHAZ.

Comentários