Home NotíciasBrasilMulher é presa por homofobia após agredir funcionário em rodoviária

Mulher é presa por homofobia após agredir funcionário em rodoviária

Uma mulher de 42 anos foi presa por homofobia, ameaça, dano, injúria mediante preconceito, lesão corporal e tráfico de influência, na tarde do último domingo (28), em Lucas do Rio Verde (MT). A suspeita agrediu um funcionário do terminal rodoviário da cidade, após ser orientada a respeitar do distanciamento social.

De acordo com a PM (Polícia Militar), a mulher não estava respeitando a marcação de distanciamento na fila do guichê de vendas de passagens. O funcionário explicou que ela deveria aguardar no local, mas a suspeita não atendeu à orientação.

Leia mais: Nego do Borel sofre acidente e precisa passar por cirurgia

O funcionário insistiu para que a mulher respeitasse e, com isso, ela começou a ofendê-lo e a danificar a estrutura do balcão da agência. Segundo testemunhas e a vítima, a mulher então passou a quebrar máquinas de cartão, cones, teclado e monitor de um computador e o celular de um mototaxista.

Ainda segundo os militares, durante o momento de fúria, a suspeita passou a ameaçar de morte o funcionário. Além disso, cometeu crime de injúria e homofobia, proferindo ofensas como “veadinho, bicha, odeio veado, vou te matar e veado não entra no céu”.

Leia mais: Mulher é estuprada por vizinho que se ofereceu para consertar energia

Descontrolada, a mulher passou a agredir qualquer um que se aproximasse dela, inclusive os policiais. A suspeita resistiu a prisão e chegou a dizer que era “serva de Deus”e parente de uma autoridade do Estado, na tentativa de intimidar a ação dos policiais. Ela foi presa em flagrante e conduzida à delegacia.

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva da UOL.

Comentários