Home NotíciasBHLojas desrespeitam restrição do comércio e são fechadas no Buritis: ‘É um absurdo’

Lojas desrespeitam restrição do comércio e são fechadas no Buritis: ‘É um absurdo’

Integrantes da Guarda Municipal de Belo Horizonte realizaram, ao longo desta quinta-feira (2), mais uma série de fiscalizações em lojas e comércios de diferentes regiões da cidade. As operações ocorrem desde que a pandemia do novo coronavírus se agravou. O objetivo é orientar lojistas sobre as medidas de segurança em relação à Covid-19, além de verificar se as regras impostas aos estabelecimentos fora da lista de serviços essenciais têm sido cumpridas.

O BHAZ acompanhou de perto parte da fiscalização realizada na região Oeste de BH, mais especificamente no Buritis. Por lá, uma loja localizada em um shopping e outras ao longo da avenida Mário Werneck foram alvos da operação. Segundo a Guarda Municipal, denúncias anônimas informavam que o comércio na área funcionava desrespeitando as restrições.

Leia mais: Abrasel aciona a Justiça para reabrir bares e restaurantes em BH

“A Guarda Municipal vem patrulhando diversas regionais por meio de denuncias e de constatações das próprias equipes. Onde percebemos ou há um grande número de denúncias, a gente marca a operação e realiza a fiscalização dos pontos”, explica o guarda Crislem Martins.

Uma moradora do bairro, que prefere não se identificar, conta que passa pela região e que viu várias lojas funcionando normalmente nos últimos dias. Ela diz que chegou a conversar com funcionários de alguns estabelecimentos para orientá-los, mas descobriu que os empregados têm sido coagidos a trabalhar sob ameaça de perder o emprego.

Leia mais: Em carta à Conmebol, Globo rescinde contrato da Libertadores

“Isso é uma atrocidade com o momento que estamos vivendo. As lojas não podem funcionar e sequer cumprem as normas básicas, como aferir a temperatura dos clientes, ter álcool na porta. É um absurdo, entra quantas pessoas quiserem”, diz a mulher.

Abordagens

Segundo a Guarda Municipal, os dados referentes às operações de fiscalização serão compilados e apresentados em um balanço. Desde o dia 20 de março, até o último dia 26, guardas municipais de BH realizaram 33.745 abordagens de orientação a comércios, empresas e em espaços públicos da capital. A

Durante as abordagens, os agentes constataram que 17.201 estabelecimentos estavam em desacordo com as determinações. O fechamento das lojas foi solicitado.té a mesma data, 65 estabelecimentos foram interditados por descumprirem decretos municipais que tratam sobre as medidas de segurança contra a Covid-19. Nenhum deles foi multado.

A região que mais demandou o comparecimento dos agentes da Guarda Municipal foi a Centro-Sul (23%). A região Oeste (14%) ficou em segundo lugar e o Barreiro (12%) em terceiro. Na sequência estão: Noroeste (11%), Nordeste (10%), Pampulha (9%), Leste (8%) Venda Nova (7%) e Norte (6%).

O descumprimento das regras pode resultar no recolhimento do ALF (Alvará de Localização e Funcionamento) do estabelecimento. Se o empresário insistir, o estabelecimento é interditado. E, se houver o descumprimento da interdição, é aplicada uma multa no valor de R$ 17.614,57.

Como denunciar?

A denúncia é sigilosa e pode ser feita no portal da PBH (https://prefeitura.pbh.gov.br). Basta clicar no canto direito em “Fale Conosco” e, em seguida, em “Ouvidoria”. O cidadão também poderá ligar para o telefone 156 para indicar alguma irregularidade.

Estabelecimentos que devem permanecer fechados:

  • Casas de shows e espetáculos de qualquer natureza;
  • Boates, danceterias, salões de dança;
  • Casas de festas e eventos;
  • Feiras, exposições, congressos e seminários;
  • Shoppings centers, centros de comércio e galerias de lojas;
  • Cinemas e teatros;
  • Clubes de serviço e de lazer;
  • Academia, centro de ginástica e estabelecimentos de condicionamento físico;
  • Clínicas de estética e salões de beleza;
  • Parques de diversão e parques temáticos;
  • Bares, restaurantes e lanchonetes.

Reforce a proteção contra o vírus

Autoridades de saúde orientam que a população tome algumas medidas de higiene respiratória para evitar a propagação da doença, são elas:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Comentários