Home NotíciasBHCliente denuncia perseguição em loja do Carrefour no Belvedere: ‘O preconceito reina lá dentro’

Cliente denuncia perseguição em loja do Carrefour no Belvedere: ‘O preconceito reina lá dentro’

ATUALIZAÇÃO ÀS 21H30 DO DIA 4/7/2020: Esta reportagem foi atualizada para incluir o posicionamento do BH Shopping.

Circula por meio do Twitter, desde a tarde dessa sexta-feira (4), um vídeo em que um cliente do Carrefour denuncia ter sofrido maus-tratos e “perseguição” de fiscais que trabalham em uma unidade da rede localizada no BH Shopping, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. Tanto a rede de supermercado quanto o shopping lamentam o fato e garantem que vão acompanhar rigorosa apuração interna.

Leia mais: PBH começa a usar drones para monitorar e combater dengue neste mês

“Rapaziada, é o seguinte: Desde a hora que a gente entrou aqui esse rapaz não sai de trás da gente por que a gente tá gravando. Tá eu e meus amigos aqui gravando, funcionário dele ali tá gravando, esse rapaz aqui está o tempo inteiro atrás da gente”, diz Wendel Henrique no vídeo.

Wendel, que é produtor de vídeos, disse ao BHAZ que foi até o hipermercado com um amigo, que é youtuber, para gravarem um vídeo. “Fomos comprar energético e sorvete para gravar um vídeo pro canal do YouTube dele. Lá dentro, percebemos que um fiscal parou no final do corredor e cruzou os braços”, conta.

Leia mais: Confissão de caixa 2 de ministro de Bolsonaro deixa políticos de cabelo em pé

“Em um momento, eu abaixei a máscara um pouco e ele veio chamar a minha atenção. Apesar da forma muito grosseira, eu entendi que era o trabalho dele e respeitei. Mas a partir dali, ele ficou o tempo todo do nosso lado”, diz Wendel.

“Quando fomos para o corredor do sorvete, ele foi chamar a atenção do meu amigo, afirmando que não podíamos gravar lá dentro”, diz. Segundo Henrique, isso não se justifica, já que várias pessoas já gravaram vídeos para o YouTube dentro do hipermercado. “Eu o questionei por que não podia gravar lá dentro. Várias pessoas já gravaram. Dentro do estabelecimento não tinha nenhum aviso falando que não podia gravar”, continua.

“Quando questionamos novamente, fomos tratados com muita grosseria. Ele ficou falando que a gente estava sem máscara, o que não era verdade. Ao mesmo tempo, tinha um funcionário dele com a máscara abaixada e nos filmando. Nesse momento eu peguei o celular para gravar o vídeo que postei e fica claro a postura dele tentando nos intimidar”, afirma Wendel.

Constrangimento

O rapaz diz que foi uma situação bastante desconfortável. “Foi muito constrangimento, estávamos dentro do estabelecimento consumindo produtos da loja. O pior foi ter que sair de lá com todos os olhares pra gente. Não tive dúvidas que o preconceito reina lá dentro”.

Denúncias de racismo

Após o compartilhamento do vídeo, surgiram outros relatos de constrangimento no Carrefour do BH Shopping. “Meu namorado é negro e quase TODAS as vezes que vamos aí, tem segurança atrás da gente”, foi uma das respostas recebidas por Wendel no Instagram.

“Já aconteceu com a gente. Só por que o Douglas estava de bermuda e chinelo. É muito triste uma empresa desse porte tratar clientes assim. Levaram a gente pra uma salinha, até tentamos processar, mas não deu em nada”, diz outra mensagem.

No Twitter, outro usuário observou que situações como essa são comuns no BH Shopping. “BH shopping é uma d**** mesmo viu. Isso aí rola é toda hora vei”, comentou

O que dizem os citados?

O Carrefour afirmou que lamenta o relato de atendimento e que “prontamente iniciou uma rigorosa apuração interna e já está tentando contato com cliente para prestar o devido atendimento”. “A rede reforça o seu compromisso em prestar um atendimento respeitoso”, diz, em trecho de nota (leia na íntegra abaixo).

O BH Shopping, por sua vez, disse que vai acompanhar a apuração feita pelo Carrefour. “O mall reitera que é contra qualquer tipo de discriminação, não consentindo com ações que desrespeitem direitos individuais”, complementou, em nota (leia na íntegra abaixo).

Nota do Carrefour na íntegra

O Carrefour lamenta o relato de atendimento feito pelo senhor Weldel em sua rede social. A empresa prontamente iniciou uma rigorosa apuração interna e já está tentando contato com cliente para prestar o devido atendimento. A empresa ressalta seu comprometimento com a segurança de todos e que o contato do funcionário com o senhor Welder teve como objetivo orientar quanto ao uso de máscaras na loja. A rede reforça o seu compromisso em prestar um atendimento respeitoso, capacitando todos os seus colaboradores, e não compactua com qualquer ato de violação de direitos, seja dentro ou fora de suas unidades”.

Nota do BH Shopping na íntegra

“O BH Shopping lamenta o fato relatado e segue acompanhando a apuração que está sendo feita pelo lojista. O mall reitera que é contra qualquer tipo de discriminação, não consentindo com ações que desrespeitem direitos individuais”.

Moisés Teodoro

Moisés Teodoro

Repórter no BHAZ desde janeiro de 2020, além de Social Media e Fotógrafo desde abril de 2019. Formado em Publicidade e Propaganda no Centro Universitário UNA. Escreve no portal com foco nas editorias de Cidades e Variedades, além de fotografar em coberturas de grandes eventos.

Comentários