Home NotíciasInternacionalTerceiro policial envolvido na morte de George Floyd é solto após pagar fiança

Terceiro policial envolvido na morte de George Floyd é solto após pagar fiança

policial fiança floyd

Mais um policial envolvido na morte do norte-americano George Floyd foi solto após pagar fiança. O ex-agente Tou Thao, de 34 anos, pagou US$ 750 mil, que correspondem a R$ 3,98 milhões, e é o terceiro envolvido a deixar a prisão. As informações são do jornal local Star Tribune.

Tou Thao deixou uma prisão no centro de Minneapolis, no estado de Minnesota, logo após as 11h do sábado (4). ​O ex-policial é acusado de ser cúmplice no assassinato de George Floyd, que gerou uma onda de protestos em várias regiões dos Estados Unidos.

Leia mais: Mãe desmaia ao saber que 4 familiares morreram em acidente

O ex-policial Derek Chauvin, que se ajoelhou no pescoço de Floyd e o asfixiou, responde por homicídio de segundo grau. Ele está sob custódia na prisão de Oak Park Heights,, sob fiança de US$ 1,25 milhão, o que corresponde a R$ 6,6 milhões.

Alexander Kueng e Thomas Lane, ex-policiais envolvidos no crime, também já haviam sido libertados sob fiança. Em junho, Kueng foi interpelado quando fazia compras em um mercado e escrachado por uma mulher que estava no local (leia aqui).

Caso Floyd

Leia mais: Covid-19: OMS afirma que talvez nunca exista cura ou vacina

George Floyd foi morto no dia 25 de maio após o então policial Derek Chauvin ficar mais de 8 minutos ajoelhado no pescoço dele. “Não consigo respirar”, foi possível ouvir Floyd dizer em um dos vários vídeos gravados por quem passava pelo local, em Minneapolis, Minnesota (relembre aqui).

Além de Chauvin, outros três policiais participaram da operação que visava abordar Floyd por suspeita de usar uma nota falsa – e não apresentou resistência alguma à abordagem policial. São eles Kueng e Thomas Lane, que ajudaram a conter Floyd, e Tou Thao, que integrava a equipe.

Todos os quatro foram demitidos da polícia local e presos. Lane, Kueng e Thao foram soltos após pagar fiança. Chauvin pode responder em liberdade sob o pagamento da fiança de 1,25 milhão de dólares.

Sofia Leão

Sofia Leão

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários