Home NotíciasCoronavírusJovem morre por Covid-19 em Minas após acreditar ter sido curado

Jovem morre por Covid-19 em Minas após acreditar ter sido curado

hospital Manoel Gonçalves Itaúna covid-19

Um possível caso de reinfecção por Covid-19 surpreendeu a pequena cidade de Itatiaiuçu, na região Central de Minas Gerais, e é investigado. Um jovem de 22 anos, que já havia testado positivo para a doença em abril, morreu na segunda-feira (6) após testar positivo pela segunda vez.

O técnico em enfermagem Libério Tadeu Fonseca Pereira foi levado ao hospital Manoel Gonçalves, em Itaúna, na região Centro-Oeste do Estado, onde foi internado e acabou falecendo. Entre os dois resultados positivos, o jovem chegou a ter um teste de resultado negativo para Covid-19.

Leia mais: Técnico de enfermagem do Odilon Behrens morre de Covid-19

“No dia 17 de abril, ele teve as primeiras manifestações de sintomas e fez um exame PCR, que teve resultado positivo. Ele cumpriu o isolamento, teve melhora nos sintomas e voltou à rotina normal. No dia 4 de junho, ele fez outro teste PCR para voltar ao trabalho, e deu negativo”, conta a enfermeira Gláucia Souza Vilela, da Policlínica Municipal de Itatiaiuçu.

No dia 27 de junho, Libério procurou uma unidade de saúde da cidade após voltar a sentir os sintomas. Ainda em Itatiaiuçu, ele fez outro teste PCR, que teve resultado positivo. Com sinais de agravamento da doença, ele foi transferido para o hospital de Itaúna, onde foi internado e acabou falecendo.

Reinfecção

Leia mais: Ricardo Eletro demite 3.500, fecha todas as lojas e pede recuperação judicial

A enfermeira afirma que a Secretaria de Saúde de Itatiaiuçu investiga a possibilidade do jovem ter se infectado duas vezes. A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) afirma, em nota (leia na íntegra abaixo), que “até a presente data, não há registro oficial sobre casos de reinfecção ou reativação pelo novo coronavírus no Estado”.

“O que nos faz pensar em duas infecções é o teste negativo entre os dois positivos. Estamos fazendo buscas na literatura e discutimos a situação com a Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis, que é a sede da macrorregião. Outro fator é que, na segunda vez em que ele testou positivo, a família também teve os sintomas”, conta a enfermeira.

Ela ressalta que ainda não há conclusões sobre o caso e que a situação está sendo estudada. O Ministério da Saúde também afirma, em nota (leia na íntegra abaixo), que ainda não é possível afirmar que esta é a “segunda vez que a doença o atingiu”.

O órgão ressalta que, apesar de existirem casos na literatura científica que apontam para casos de novos episódios da doença, “não existem certezas se estes quadros representam uma nova infecção ou uma recidiva do quadro inicial”.

Fator genético

A enfermeira Gláucia Souza também ressalta que o caso pode ter relação com uma alteração genética apresentada pela mãe do jovem. Segundo ela, Edriana de Fátima Pereira Fonseca, de 44 anos, tinha uma característica genética que conferia a ela baixa imunidade.

A mãe, que teve a alteração identificada em março, também foi vítima da Covid-19 e morreu dois dias antes do filho, no mesmo hospital. A enfermeira afirma que a administração de Itatiaiuçu suspeita que o jovem de 22 anos tenha herdado a condição da mãe, mas que ainda não é algo certo.

Caso improvável

Para o infectologista Carlos Starling, que integra o Comitê de combate à Covid-19 da PBH (Prefeitura de Belo Horizonte), a chance do caso do jovem se tratar de uma reinfecção por Covid-19 é muito baixa. Ele ressalta que ainda não há evidências científicas de que situações como essa possam ocorrer.

“Várias outras coisas podem ter ocorrido. Há casos de suspeita de reinfecção em que, na realidade, o que tinha acontecido era que o paciente testou positivo por causa de fragmentos de RNA, que não são ativos, e que permaneciam causando resultados positivos, apesar da pessoa não ter infecção ativa”, exemplifica o especialista.

“Ele também pode ter desenvolvido outro tipo de infecção, bacteriana ou viral, como a H1N1. Existem casos de o [teste] PCR continuar dando positivo até 60 dias após a infecção inicial. O teste negativo entre os dois positivos pode ter acontecido por um problema de coleta, por exemplo”, completa.

O infectologista afirma que há diversas formas do teste PCR apresentar um resultado “falso negativo”, e ressalta que o caso do jovem deve ser investigado. “A reinfecção é muito pouco provável. Isso não se mostrou verdadeiro em nenhuma das outras ocasiões em que essa suspeita foi levantada”, finaliza.

Nota da SES-MG

“A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) comunica que, até a presente data, não há registro oficial sobre casos de reinfecção ou reativação pelo novo coronavírus no estado.
Informa, ainda, que na eventual apuração dessas situações, quando se trata de município com menor densidade populacional e capacidade econômica, a SES-MG presta apoio técnico a essa análise no âmbito municipal, por meio das Regionais de Saúde.”

Nota do Ministério da Saúde

“O Ministério da Saúde informa que está em contato com a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) que investiga o caso de um paciente atendido no Estado e que veio a óbito em 06/07/2020, com resultado RT-PCR (molecular) positivo para Covid-19. Neste momento, não é possível afirmar que esta é a “segunda vez que a doença o atingiu”. 
De acordo com a literatura médica, existem casos de pacientes curados de Covid-19 que voltam a apresentar um novo episódio da doença, mas não existem certezas se estes quadros representam uma nova infecção ou uma recidiva do quadro inicial. Faltam evidências científicas se são resquícios da mesmo infecção. 
Para as demais lacunas de evidências, mais estudos devem ser realizados tendo como foco específico a Covid-19. Saiba mais no documento do Ministério da Saúde: Revisão Sistemática Rápida sobre Resposta Imunológica e Reinfecção por SARS-CoV-2.”

Sofia Leão

Sofia Leão

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários