Home NotíciasBrasilGarotinho comanda grito em favor de Bolsonaro em avião

Garotinho comanda grito em favor de Bolsonaro em avião

Menino grito Bolsonaro avião

O filme “Jojo Rabbit”, que conta a história de um garotinho alemão vivendo sob a influência do nazismo, se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter nesta sexta-feira (10). O motivo? O vídeo de um garoto brasileiro comandando um grito a favor de Bolsonaro em um avião. “Aqui é Bolsonaro ou não é?”, grita a criança, enquanto é aplaudida pelos passageiros.

Leia mais: Bolsonaro convida Temer para chefiar missão do Brasil de ajuda ao Líbano

Na ficção, Jojo Rabbit vive desejando a morte dos judeus, sonha em lutar na guerra e tem Hitler como melhor amigo. Na realidade, o garoto do vídeo, Pedro Lucas Guerra, tem Bolsonaro como ídolo, anda vestido com roupas militares e carrega réplicas de armas. O menino também compartilha nas redes sociais fotos de visitas à Brasília acompanhado do pai, o empresário Rafael Guerra, de Belo Horizonte.

A criança já protagonizou algumas cenas polêmicas, como quando foi levado até o plenário da Câmara dos Deputados carregando uma réplica de metralhadora. Em um outro vídeo, o garoto, que se apresenta como policial militar, diz: “se o bandido não obedece o que eu tô falando, eu sou obrigado a dar um tiro no meio da cabeça dele”.

Leia mais: ‘Cabeleleila Leila’: Salão de beleza surfa em meme com prática racista blackface

Repercussão

Apesar das comparações jocosas ao filme de Jojo Rabbit, a criança, que usa o nome “Bolsonarinho” no Instagram, também recebe muitas mensagens de incentivo pela rede. “Top, algumas crianças de hoje serão presas por você amanhã”, comentou um apoiador no perfil do Instagram da criança.

A deputada Carla Zambelli também compartilhou o vídeo de Pedro, enaltecendo a atitude da criança. “Que gracinha!”, escreveu na legenda.

Mas após a viralização do vídeo do avião, o comportamento garoto recebeu muitas críticas, principalmente direcionadas à influência do pai. “Pegou bem não. Criança não tem que ser envolvida, de tal forma, como culto ao líder, nessas temáticas”, escreveu um usuário do Twitter.

Guilherme Gurgel

Guilherme Gurgel

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários