Home NotíciasMinas GeraisPai é preso por oferecer filha de 11 anos para homem estuprá-la em Minas

Pai é preso por oferecer filha de 11 anos para homem estuprá-la em Minas

delegacia polícia civil muzambinho

Uma menina de 11 anos foi estuprada por um jovem, de 19, em Juruaia, no Sul de Minas, nessa sexta-feira (10). O jovem foi preso ainda no mesmo dia, após a menina identificá-lo. O pai da criança, de 29 anos, é investigado pela Polícia Civil suspeito de aliciar a filha.

A denúncia foi feita à polícia pelo Conselho Tutelar. O órgão teria recebido um relato, via WhatsApp, que contava que a menina teria sido vítima de estupro. Segundo a denúncia, o pai da criança seria o responsável por “oferecer” a menina ao jovem, para que os dois se “deitassem e tivessem relações sexuais”.

Leia mais: Goiás tem dez casos de Covid-19 no elenco antes de enfrentar o São Paulo

Exames confirmam estupro

A PM (Polícia Militar) foi até a casa do pai da menina, e ele confirmou que o jovem havia dormido em sua residência na noite anterior, saindo logo cedo. De acordo com o pai da vítima, o jovem e a filha estariam saindo “como namorados” há dois dias. Contudo, ele não sabia se os tinham praticado relações sexuais.

O pai negou ter oferecido a filha dele para o jovem. Ele solicitou e autorizou que sua filha fosse submetida a exames médicos. A criança fez os exames e, conforme relatório médico, o resultado demonstrou presença de secreção esbranquiçada com semelhança a conteúdo espermático e ausência de hímen.

Leia mais: Ronaldinho fica perto de voltar ao Brasil após decisão no Paraguai

A polícia começou a busca pelo suspeito do crime, que foi encontrado em uma lavoura de café, com ajuda do pai da vítima. Quando os policiais se depararam com o suspeito, o pai da menina disse: “Deu problema pra nós, você ficou com minha filha, acho que vai dar problema até pra mim”.

Jovem nega

Quando abordado pela polícia, o jovem disse que não conhecia a menina. Ele disse que provavelmente ela teria ficado com seu irmão gêmeo, que aquilo tudo seria um engano.

Com a presença dos conselheiros tutelares, a menina se aproximou do jovem de forma espontânea, para possível identificação. Contudo, ela demonstrou medo e segundos depois se pronunciou, dizendo que não tinha certeza se era a pessoa a quem tinha dormido.

Logo depois, o suspeito se manifestou e falou sobre o irmão gêmeo. Nesse momento, a criança confirmou a versão do jovem. Porém, segundo a PM, não pareceu convincente, dando a impressão que poderia estar com medo.

O jovem foi preso como possível autor do estupro, sendo levado para a Delegacia de Polícia de Muzambinho, na mesma região. A criança foi levada até a residência do avô, que ficou responsável por cuidar da menina, tendo assinado Termo de Entrega Responsabilidade e Compromisso. O pai também foi detido e conduzido à unidade policial, como suspeito de ter aliciado a filha.

Crime sexual

O crime de estupro é previsto no art. 213, e consiste em “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”. Mesmo que não exista a conjunção carnal, o criminoso pode ser condenado a uma pena de reclusão de 6 a 10 anos.

O art. 217A prevê o crime de estupro de vulnerável, configurado quando a vítima tem menos de 14 anos ou, “por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência”. A pena varia de 8 a 15 anos.

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva da UOL.

Comentários