Home NotíciasBHKalil é cauteloso, mas vê ‘luz no fim do túnel’ em reabertura do comércio

Kalil é cauteloso, mas vê ‘luz no fim do túnel’ em reabertura do comércio

kalil prefeito coletiva

O prefeito Alexandre Kalil (PSD) se reuniu com representantes dos lojistas de Belo Horizonte para tratar sobre a reabertura do comércio, nesta quinta-feira (30). A reunião durou pouco mais de 2 horas, mas sem uma definição. Contudo, Kalil se disse otimista e que vê uma “luz no fim do túnel”. Uma nova coletiva será realizada nesta sexta-feira (31), que deve definir a situação. Lojistas querem o comércio aberto antes do Dia dos Pais.

“Saio muito feliz dessa reunião porque desde que entrei pra política descobri que tudo se resolve com diálogo. O Sindilojas (Sindicato de Lojistas de Belo Horizonte) continua do lado da Prefeitura de Belo Horizonte”, disse o prefeito em coletiva aos jornalistas. Porém, ele se diz “pouco animado” com os números. “A partir desta semana começamos com números mais animadores apesar do índice alto de ocupação [de leitos]”, continuou o prefeito.

Leia mais: Ronaldinho fica perto de voltar ao Brasil após decisão no Paraguai

“Não tem astrologia aqui, vamos reunir, sentar, conversar. Todos serão informados dos números da ciência. Não tem resolução nenhuma. Amanhã (31) vai ser uma coletiva mais objetiva que nem vou participar. Queria pedir ao povo que fique em casa porque estamos começando a ver uma luz no fim do túnel”, completou.

O objetivo dos lojistas é que o comércio volte a funcionar antes do Dia dos Pais, para aproveitarem a data para alavancar vendas. Os representantes dos lojistas levaram uma proposta para que comércio fique quatro dias aberto e três fechados. Shoppings poderiam abrir de quarta-feira a sábado, e os demais de terça a sexta-feira.

Dia dos Pais

Leia mais: PBH libera protocolos para funcionamento de eventos drive-in na capital

Na sequência da reunião, o presidente do Sindilojas BH, Nadim Donato, disse aos jornalistas: “Nós viemos pedir ao prefeito que abra urgentemente. Não estamos aguentando mais. O comércio não tem dinheiro para pagar funcionário. Já mandamos embora mais de 50% do nosso quadro de funcionários. Precisamos começar a abrir o mais rápido possível. Nós não vamos romper com a prefeitura. Viemos explicar o que estamos passando. É muito sofrimento”, disse.

Para o representante, o ideal é que o comércio volta a funcionar no próximo dia 4. “Mas ainda não tivemos uma resposta. Ainda estamos com esperança de pegar um pouco do fluxo do Dia dos Pais. Estamos entendendo que vamos abrir todos juntos. Isso é fundamental. Acho que ele entendeu isso. A data depende da ocupação de leitos de UTI de COVID-19”, acrescentou.

CDL/BH rebate

A CDL/BH (Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte) enviou na tarde de hoje, uma nota criticando a reunião e afirmando não estar presente porque não foi convidada.

“Hoje, o Prefeito Alexandre Kalil promoveu uma reunião para discutir uma “suposta” reabertura do comércio com algumas entidades do setor. A CDL/BH não se fez presente porque não foi convidada”, diz a nota.

A entidade lamentou a falta de data definida para a reabertura dos comércios. “O que a gente lamenta mesmo é que mais uma vez ficamos sem resposta para uma pergunta que milhares de pessoas em nossa cidade: quando vamos reabrir o comércio?”.

Taxas de ocupação altas

O maior problema para a reabertura segue sendo as altas taxas de ocupação de leitos de UTI em BH. Segundo último boletim epidemiológico divulgado nessa quarta-feira (29), 91% das vagas de UTI-Covid do SUS estão ocupadas na cidade, passando o índice de 70%, o que coloca BH na zona vermelha. Os leitos de enfermaria-Covid estão com 69% de ocupação.

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva da UOL.

Comentários