Avaliamos a versão espartana da Frontier; veja como a pick-up se comportou

Frontrier S
Foto: Eduardo Aquino

Para quem quer uma pick-up média a diesel, com tração nas quatro rodas e reduzida, mas dispensa alguns mimos para tornar o preço mais em conta, uma boa opção é a versão de entrada da Nissan Frontier, a S, equipada com motor 2.3 de 160cv e câmbio manual de seis marchas.

Voltada para frotistas, a opção tem muita disposição para o trabalho e para encarar trechos de terra sem muita dificuldade, já que o motor, embora tenha uma turbina a menos (que representa 30 cv) que as versões mais equipadas, tem um bom torque em baixas rotações.

Frontier S
A falta de frisos e coberturas plásticas na carroceria demonstra que se trata de uma versão mais espartana (Foto: Eduardo Aquino)

Por fora, a falta de frisos e coberturas plásticas na carroceria demonstra que se trata de uma versão mais espartana. Por outro lado, os faróis com máscara negra, a capota marítima e as rodas de liga leve de 16 polegadas (novidade na linha 2020) ajudam a melhorar o visual.

Cobertura de caçamba

Mas alguns itens fazem falta, como a cobertura de caçamba, já que ela é voltada para o trabalho e esse equipamento protegeria melhor a lataria; e o protetor do vidro traseiro, item de segurança para impedir a entrada de objetos na cabine em caso de acidente ou frenagem mais forte.

Leia também: Pesados elétricos

Nissan Frontier S
Foto: Eduardo Aquino

Por dentro, o ambiente também é espartano e a versão S não vem nem com equipamento de som. O acabamento é simples, o volante não é multifuncional, os bancos são forrados em tecido (bem apropriado para o nosso clima tropical) e não há faixas douradas ou prateadas cruzando o painel.

Dentro da cabine

O espaço interno acomoda bem cinco adultos e o ar-condicionado, embora não seja de duas zonas, dá conta de climatizar bem o ambiente. Por outro lado, o ruído de funcionamento do motor dentro da cabine incomoda um pouco.

Leia também: Dia do Motorista sem festa

Nissan Frontier S

Embora básica, a versão S traz alguns itens de segurança interessantes, como controles de tração e estabilidade, controle automático de descida e sistema de auxílio de partida em rampa.

4×4 com reduzida

Em nossa avaliação, a Frontier de entrada foi muito bem ao rodar por estradas de terra de piso ruim, onde a tração 4×4 com reduzida, a boa altura do solo e os bons ângulo de ataque e saída fizeram a diferença, mesmo sem contar com pneus de uso misto.

Leia também: Ford confirma Territory

Nissan Frontier S
O acabamento é simples, o volante não é multifuncional (foto: Eduardo Aquino)

O motor 2.3, embora tenha apenas uma turbina, tem um bom fôlego em baixas rotações, o que garante agilidade para a picape e disposição para levar cargas (capacidade para uma tonelada); e um nível de consumo bem razoável.

Botão no painel

Embora não sejam macios, os engates do câmbio são precisos e as relações de marcha estão bem escalonadas. A seleção da tração 4×4 e reduzida é feita por meio de botão no painel.

Leia também: Aposta nas motos elétricas

Nissan Frontier S
O espaço interno acomoda bem cinco adultos (Foto: Eduardo Aquino)

A assistência hidráulica da direção está bem calibrada, facilitando as manobras para sair de vagas mais apertadas e com bom “peso” na estrada. A suspensão consegue reduzir um pouco o desconforto quando a picape roda vazia, que é uma característica desse tipo de veículo.

Leia também: Mobilidade do futuro

Nissan Frontier S
Alguns itens fazem falta, como a cobertura de caçamba (Foto: Eduardo Aquino)

A linha 2020 vem com uma novidade: o adesivo Sem Parar já instalado de série e o cliente pode optar pelo serviço pago em dois planos feitos para os clientes da Frontier: Na Cidade, voltado para quem roda mais em centros urbanos; e na estrada, para aqueles que circulam mais por rodovias.

Texto: Eduardo Aquino 

Nissan Frontier S
Motor 2.3, embora tenha apenas uma turbina, tem um bom fôlego em baixas rotações (Foto: Eduardo Aquino)

Ficha Técnica

  • Motor – Dianteiro, longitudinal, quatro cilindros em linha, 2.298cm³ de cilindrada, diesel, 16V, que gera potência de 160cv a 3.750rpm e torque de 41kgfm entre 1.500 e 2.500rpm
  • Transmissão – Tração 4×4 e câmbio manual de seis marchas
  • Direção – Assistência hidráulica
  • Suspensão – Dianteira, independente, do tipo Double-wishbone; e traseira, independente, do tipo multilink
  • Dimensões – Comprimento, 5,26m; largura, 1,85m; altura, 1,82m; e entre-eixos, 3,15m
  • Ângulo de ataque – 30,5°
  • Ângulo de saída – 27,4°
  • Altura do solo – 230mm
  • Rodas e pneus – Rodas de liga leve de 16 polegadas, calçadas com pneus 255/70 R16
  • Freios – A disco na dianteira e tambor na traseira
  • Capacidade de carga – 1.005 quilos
  • Tanque de combustível – 80 litros
  • Peso (em ordem de marcha) – 2.030 quilos
Nissan Frontier S
As rodas são de liga leve de 16 polegadas (Foto: Eduardo Aquino)
  • Equipamentos – Abertura da tampa de combustível por acionamento interno, ar-condicionado, direção hidráulica, rodas de liga de 16 polegadas, escurecimento manual dos retrovisores, saídas de a/c para o banco traseiro, tomada de 12V, entrada USB, vidros elétricos, coluna de direção com ajuste manual, alarme, controle automático de descida (HDC), controles de tração e estabilidade, sistema de auxílio de partida em rampa (HSA), TAG Sem Parar, faróis dianteiros com máscara negra, protetor de motor, bloqueio eletrônico do diferencial, ganchos para reboque dianteiro, indicador de direção nas laterais, luz de freio de LED (brake light) e antena de Teto.
  • Preço – R$ 155.290

Acesse: www.aceleraai.com.br

Acelera Ai
Acelera Airedacao@aceleraai.com.br

Jornalistas Eduardo Aquino e Luís Otávio Pires são os editores do site Acelera Aí e da seção veículos do portal Bhaz