Home NotíciasCoronavírusCovid-19: Rússia planeja começar vacinação em massa a partir de outubro

Covid-19: Rússia planeja começar vacinação em massa a partir de outubro

vacina

Um dos principais nomes associados a uma possível cura para a Covid-19, a Rússia anunciou, neste sábado (1º), que pretende iniciar uma campanha de vacinação em massa da população ainda em outubro deste ano. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde do país e divulgado pela agência estatal Ria Novosti.

Foram divulgados poucos detalhes sobre a campanha, mas o ministro informou que a etapa de testes clínicos já foi concluída pelo Instituto Gamaleya de Pesquisa e Epidemiologia e que, agora, o país depende dos trâmites legais para começar a vacinação em dois meses. Os primeiros da fila para receber as doses serão professores e profissionais da saúde.

Leia mais: Taxa de contágio da Covid-19 em Minas está abaixo de 1 e indica recuo

Também não foi informada a quantidade de vacinas que serão distribuídas neste primeiro momento, mas as autoridades locais tratam a ocasião como uma grande conquista, que chegou até a ser comparada com grandes marcos históricos: o chefe do Fundo Russo de Investimento Direto equiparou o desenvolvimento da vacina ao lançamento do satélite Sputnik pela União Soviética em 1957.

Conclusão dos testes e registro

Ainda no mês passado, a Rússia anunciou que havia concluído a primeira fase de testes de uma vacina contra o coronavírus (leia aqui). Segundo a Universidade Sechenov, os primeiros resultados, obtidos após um teste em dois grupos de 38 voluntários, iniciado em 18 de junho, foram satisfatórios.

Leia mais: Goiás tem dez casos de Covid-19 no elenco antes de enfrentar o São Paulo

“Por volta da data de 14 a 15 de agosto, espero que uma pequena quantidade da vacina possa ser posta em circulação”, disse Alexander Gunzburg, diretor do Instituto Gamaleya de Pesquisa Científica, à época.

A Rússia é o quarto país do mundo com maior número de casos confirmados de Covid-19, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, Brasil e Índia. Já são quase 844 mil infectados no país, que acumula ainda um total de 14.034 mortos pela doença, conforme dados divulgados pela Universidade Johns Hopkins

Giovanna Fávero

Giovanna Fávero

Estudante de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Escreve com foco na área de Guia e Cultura no BHAZ.

Comentários