PBH anuncia que leitos da rede privada serão levados em conta

Jackson Machado secretário municipal de saúde de BH
Leitos da rede particular passarão a fazer parte da contagem da PBH (Amanda Dias/BHAZ)

A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) anunciou, em coletiva de imprensa nesta terça-feira (4), que os leitos da rede privada serão considerados para tomada de decisões sobre a flexibilização do comércio na capital. Conforme o secretário municipal de saúde, Jackson Machado, a iniciativa foi tomada já que, conforme a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), 48,2% da população da capital mineira tem acesso a planos de saúde. Por isso, os dados de taxa de ocupação de leitos de UTI e enfermarias da rede privada serão incorporados às informações da rede pública.

Na mesma coletiva, o prefeito Alexandre Kalil anunciou a abertura parcial do comércio da capital mineira. A partir desta quinta-feira (6), lojas de shoppings e de rua poderão funcionar, seguindo algumas restrições de horário e observando as medidas de contenção do novo coronavírus (saiba mais aqui).

“Nos últimos dias houve redução muito significativa nas solicitações de leitos para internações Covid na Rede SUS-BH. Hoje pela manhã, apenas três pacientes aguardavam a internação. Além dessa melhora, também vamos passar a considerar novos números para a taxa de ocupação de leitos”, explicou o secretário de Saúde, Jackson Machado. Além disso, Machado reforçou que não há sentido em não contabilizar os leitos de hospitais particulares. “5% da população de BH usa a rede privada”, destacou.

Transmissão da Covid-19 na capital

Segundo dados da PBH, o número de transmissão por infectado (Rt) ficou em 0,91 nesta terça-feira, atingindo sua menor média desde o início da pandemia. A taxa vem sendo monitorada e divulgada às sextas-feiras – desde 15 de maio, no Boletim de Monitoramento, a partir da média dos últimos sete dias. Na segunda quinzena de julho, o Rt médio se estabilizou, apresentando um declínio sequenciado desde a semana passada.

Essa perda na velocidade vem impactando na diminuição gradativa de demandas por internação de pacientes com a Covid-19, principalmente das alas de enfermaria. Há 14 dias, no Boletim Epidemiológico e Assistencial divulgado no dia 22 de julho, a taxa de ocupação de leitos de enfermaria Covid era de 77%. 

Nessa segunda-feira (3), o índice caiu para 67%, confirmando o histórico decrescente. Esse foi o menor índice desde 22 de junho. O índice assistencial para os casos mais graves que necessitam de terapia intensiva ainda continua alto, mas com tendência significativa de queda.

No dia 28 de julho, a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid era de 91% e hoje, caiu para 80,6%, considerando a ocupação de leitos da Rede SUS-BH e da rede privada (suplementar).

Com PBH

Aline Diniz
Aline Dinizaline.diniz@bhaz.com.br

Editora do BHAZ desde janeiro de 2020. Jornalista diplomada pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) há 10 anos e com experiência focada principalmente na editoria de Cidades, incluindo atuação nas coberturas das tragédias da Vale em Brumadinho e Mariana. Já teve passagens por assessorias de imprensa, rádio e portais.