Homem acusado de estuprar e matar amiga depois de festa é condenado

Keeley Bunker
Keeley Bunker foi estuprada e assassinada (Reprodução/The Sun)

Keeley Bunker, de 20 anos, confiou em Wesley Streete, também de 20, para levá-la para casa depois que eles deixaram um clube em Birmingham, no Reino Unido. O rapaz, que era muito amigo da vítima, estuprou a jovem antes de estrangulá-la até a morte e jogar o corpo seminu em um rio, segundo o The Sun.

O caso aconteceu em 19 de setembro do ano passado, e o criminoso foi condenado nesta quarta-feira (5). A jovem confiou no amigo e disse para as outras pessoas que estavam na festa que iria embora, que estava “tudo bem” já que Wesley lhe deixaria em casa. Em vídeos no celular da vítima, os dois dançam juntos no clube, com Keeley usando um vestido vermelho enquanto posa para a câmera.

Streete sorria enquanto observava a amiga, horas antes de ele matá-la brutalmente. Depois de deixar o clube, uma amiga se ofereceu para deixar Keeley em casa, mas ela se recusou, dizendo: “Eu vou com o Wes. Wes vai me levar de volta, tudo ficará bem”.

Depois de muita procura, o corpo da aspirante a professora foi encontrado por seu tio horrorizado, deitado de bruços em um riacho coberto de galhos, com as calças abaixadas. Streete ainda retornou ao local para cobri-la com a vegetação – e depois mentiu várias vezes em uma tentativa fracassada de cobrir suas rastros.

Condenação

Inicialmente, o jovem disse que deixou Keeley e foi para casa sozinho – antes de afirmar que a estrangulara acidentalmente durante o sexo e largou o corpo dela porque estava “assustado” e “envergonhado”.

Contudo, um júri popular rejeitou suas alegações e o considerou por unanimidade culpado de estupro e assassinato após um julgamento de três semanas no Stafford Crown Court nesta quarta-feira.

O júri levou pouco mais de oito horas para condenar o ex-empacotador de armazém. Streete também foi considerado culpado de duas outras acusações de estupro, três acusações de agressão sexual e uma acusação de atividade sexual com uma criança, contra três outras vítimas, que teriam ocorrido em anos anteriores.

Streete negou qualquer ação errada dizendo que Keeley estava “flertando” e “provocando” ele, enquanto voltavam para casa e alegavam que ela queria sexo. Ele afirmou que a “matou acidentalmente” depois de envolver o antebraço em volta do pescoço dela. Mas a vítima tinha arranhões no pescoço, provavelmente aflita enquanto tentava se libertar de Streete.

Com o fim do julgamento e as condenações, Streete aguarda sua sentença. Nesta sexta-feira (7), a Justiça definirá quantos anos o rapaz passará na cadeia.

Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva da UOL.