Entregador humilhado vai ganhar moto nova e agressor é banido do iFood

entregador ifood humilhado
Um homem atacou o entregador com ofensas racistas e o vídeo viralizou (Reprodução/@lucianohuck/Instagram)

O homem que foi filmado humilhando um entregador de aplicativo com ofensas racistas, o contabilista Mateus Abreu Almeida Prado Couto, foi expulso da plataforma de entregas iFood nesta sexta-feira (7). Além disso, o caso chamou a atenção do apresentador Luciano Huck e o entregador que foi ofendido, Matheus Pires, vai ganhar uma moto nova.

No vídeo, o morador de um condomínio de luxo em Valinhos, cidade de São Paulo, menospreza o entregador ao chamá-lo de semianalfabeto e lixo. Branco, vestindo uma camiseta azul, ele alega também que o jovem tem inveja das casas do condomínio e da cor de pele dele.

Depois da repercussão do vídeo, o iFood baniu o agressor do aplicativo. “Racismo é crime. O iFood condena qualquer forma de preconceito ou discriminação e por isso presta solidariedade e apoio ao entregador Matheus, vítima do crime racial praticado por um consumidor na cidade de Valinhos, São Paulo, conforme vídeo que circula nas redes sociais. Baseados nos termos de uso do aplicativo, o iFood descadastrou o usuário agressor da plataforma. A empresa está em contato para oferecer ao entregador apoio jurídico e psicológico”, diz a nota do iFood (leia na íntegra abaixo).

Moto nova

A justiça pelo caso absurdo não parou por aí. O apresentador Luciano Huck assistiu ao vídeo em que Matheus Pires foi humilhado e se solidarizou com a situação. Ele entrou em contato com o entregador e gravou uma entrevista. Ele contou que o cliente já era conhecido como problemático e que depois de ter sido insultado, chamou a polícia. Segundo Matheus, o homem chegou a chamá-lo de “favelado” na frente das autoridades.

Durante a entrevista, o jovem contou para Luciano que está trabalhando usando a moto do pai, já que a dele apresentou um problema no motor. O apresentador não hesitou em oferecer ajuda. “Vou dar um jeito de arrumar uma moto zero para você, para dar uma força neste momento”, respondeu Luciano Huck.

Entenda o caso

Mais um caso de racismo foi registrado nessa pandemia e o vídeo dos ataques viralizou nas redes sociais desde essa quinta-feira (6). A discussão começa com o homem de camisa azul e bermuda perguntando quanto o entregador ganha por mês. A ocorrência foi registrada no último dia 31 de julho. No vídeo, Mateus Abreu Almeida Prado Couto aparece humilhando o entregador Matheus Pires.

“Você nem tem onde morar. Você tem inveja disso daqui. Eu pedi para ele [Matheus Pires] sair fora daqui, e não saiu fora. Moleque, moleque, você tem inveja disso daqui, você tem inveja dessas famílias aqui”, diz o homem, ao apontar para as casas do condomínio e, em seguida, para o antebraço, indicando ser branco.

O entregador, que usava máscara facial — ao contrário do agressor —, responde: “Eu posso ter a mesma coisa que o senhor. Quem te deu isso daqui? Foi seu pai?”. Em seguida, o homem de camiseta azul aumenta o tom de voz: “Você nunca vai ter” e chama Matheus de semianalfabeto e mentiroso.

Nota do iFood

“Racismo é crime. O IFood condena qualquer forma de preconceito ou discriminação e por isso presta solidariedade e apoio ao entregador Matheus, vítima do crime racial praticado por um consumidor na cidade de Valinhos, São Paulo, conforme vídeo que circula nas redes sociais.
Baseados nos termos de uso do aplicativo, o IFood descadastrou o usuário agressor da plataforma. A empresa está em contato para oferecer ao entregador apoio jurídico e psicológico.
O iFood reitera que repudia qualquer ato de discriminação e preza pelo respeito à diversidade em todas ações que realiza, de acordo com os valores presentes em seu Código Conduta e Ética.
Em casos como este, o iFood recomenda registrar boletim de ocorrência e entrar em contato com a empresa pelos canais oficiais de atendimento via aplicativo, enviando o Boletim de Ocorrência (B.O.).
Ao receber qualquer tipo de relato com teor como este, o IFood apura as ocorrências e, quando comprovada o descumprimento dos termos e condições de uso, desativa o cadastro dos envolvidos. A empresa está à disposição para colaborar com a investigação do caso e aguarda mais informações das autoridades responsáveis.”

Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.