Fertilização in vitro e barriga da sobrinha garantiram gêmeos a pai solo

Anderson Franco Neves é pai solo
Anderson Franco Neves é pai “solo” (Reprodução/Arquivo Pessoal)

Por Roberto Wagner

A cada novo Dia dos Pais, Anderson Franco Neves, 45 anos, olha para trás e confirma: foi “a melhor decisão da minha vida”. Ele se refere ao fato de ter optado pela paternidade solo, conseguida por meio da reprodução assistida dos gêmeos Eduardo e Fernanda. “Sou de uma família grande, de 10 irmãos, mais de 20 sobrinhos, então a convivência familiar para mim é básica. Inicialmente, eu tinha a visão de que precisava de um relacionamento para ter um filho. Depois me dei conta de que casais acabam, muitos com brigas. Para mim ser pai é um sonho realizado. Posso passar amor, carinho, conhecimento, compartilhar coisas. É um vínculo eterno. Cada dia melhor, mais encantador”, comemora Anderson, que é solteiro e vive em São Paulo.

Para festejar datas importantes como a deste domingo (9), porém, ele precisou superar receios e frustrações. Em junho de 2014, o empresário deu início ao processo de reprodução assistida com fertilização in vitro – a técnica consiste na coleta de espermatozoides e de óvulos para a fecundação em laboratório e posterior aplicação em um útero para gestação.

Duas de suas irmãs se ofereceram para participar de um procedimento conhecido como barriga solidária, também chamado de gestação de substituição ou doação temporária de útero, mas ambas gestações deram errado. “Foram cinco anos tentando. Tentei com a irmã adotiva, foi descoberto um problema no útero dela. Depois tentei com outra irmã, também não deu certo, até que consegui com a barriga da minha sobrinha“, lembra Anderson.

Veja a matéria completa no Metrópoles, parceiro do BHAZ.