Volta às aulas em BH depende de vacina segura e eficaz contra Covid-19

volta aulas
Amanda Dias/BHAZ

As aulas nas redes pública e privada de Belo Horizonte não devem voltar enquanto não existir uma vacina segura contra o novo coronavírus. É o que disse o prefeito Alexandre Kalil (PSD) em entrevista à rádio CBN nesta terça-feira (11). O chefe do Executivo municipal também criticou o ensino remoto. Para Kalil, o retorno das aulas presenciais na capital mineira acontecerá simultaneamente nas redes pública e privada, e apenas quando uma vacina se mostrar segura e eficaz contra a Covid-19.

“Aula em Belo Horizonte só retornará juntas e creio que, quem tem filho em casa, a última coisa que quer é mandar o filho para o meio de uma guerra. E acho muito difícil aula sem vacina em Belo Horizonte”, afirma.

Ensino remoto

Na entrevista, o prefeito descartou a possibilidade de ensino remoto na rede pública municipal de BH. “Aula remota é uma agressão à pobreza. Aula remota é uma humilhação a quem é mais pobre, disse.

No início de julho, em entrevista exclusiva ao BHAZ, Kalil foi categórico e afirmou que essa alternativa estava completamente descartada e classificou a modalidade como “piada de mau gosto”.

“Isso é uma piada, né, gente. Isso é quem nunca visitou Belo Horizonte, nunca andou. Apesar da gente estar incrementando Wi-Fis na periferia, isso aí é desconhecer a pobreza total. Isso é uma piada de mau gosto. Você dar aula pra… você vai fazer a… isso me cansa, sô. O que sai da lógica me cansa”, respondeu o prefeito da capital mineira.

Marcela Gonzaga
Marcela Gonzagamarcela.gonzaga@bhaz.com.br

Editora do BHAZ desde fevereiro de 2020. Jornalista graduada pela Newton Paiva. Trabalhou como produtora de TV e chefe de produção durante 14 anos, com passagens pela RecordTV, Rede Minas, RedeTV!, TV TRT-MG e TV TJMG.