‘Não é hora de fazer churrasco’, diz secretário sobre flexibilização em BH

jackson machado
Para exemplificar a gravidade da doença, secretário destacou que em cada cinco pacientes internados para tratar a Covid-19, um morre (Amanda Dias/BHAZ)

O comércio em Belo Horizonte vai funcionar de segunda a sexta-feira a partir da próxima semana. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (20) em coletiva na prefeitura. Apesar disso, a população deve continuar seguindo as recomendações sanitárias e evitar aglomerações devido ao risco de contágio pelo novo coronavírus. As aulas da rede municipal de ensino seguem suspensas e sem data para retomar (veja abaixo).

“As pessoas tem que tomar cuidado. A Covid-19 é uma doença muito grave. Apesar de fazermos flexibilização não é hora de chutar o pau da barraca e fazer churrasco, festa. Vamos ter responsabilidade porque a doença é muito grave. Se tiver que fechar [a cidade], fechamos pois nosso compromisso é com a vida”, alertou o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado.

Para exemplificar a gravidade da doença, Jackson destacou que em cada cinco pacientes internados para tratar a Covid-19, um morre.

Outra novidade anunciada na coletiva foi com relação à liberação de praças e parques para a população. Mesmo com a decisão do Executivo municipal, Jackson Machado pediu a compreensão e destacou que o momento é de permanecer em isolamento social. Caso as pessoas desejarem fazer atividades físicas ao ar livre, o secretário deu orientações de como exercitar com segurança.

“É muito importante que as pessoas sejam responsáveis. Sei que é difícil correr com máscara, mas pode com aquele protetor de acrílico. Pode caminhar na praça, mas tomando os cuidados para não termos de fechar a cidade de novo. Importante também evitar sair em grupos, com aquela turma da caminhada/corrida”, aconselhou.

Volta às aulas

O retornos das aulas na rede municipal de ensino segue sem data definida. Segundo Jackson Machado os indicadores mostram que ainda não é o momento para retomar as aulas de forma segura. “Vamos reabrir quando tivermos indicador confiável e que diga que o momento é seguro para as crianças”.

O médico infectologista Unaí Tupinambás, integrante do Comitê de Enfrentamento à Epidemia de Covid-19, destacou os estudos que apontam que as crianças transmitem o vírus tanto quanto o adulto, mas que permanecem assintomáticas, ou seja, sem apresentar os sintomas característicos da doença.

“Quando voltar para a escola? Quando tivermos de 1 a 5 casos de Covid-19 em 100 mil habitantes em Belo Horizonte. Estes são os parâmetros. Hoje está em 25 casos para cada 100 mil. Com isso, é difícil achar que daqui um mês vamos atingir este nível”, destacou o especialista que também é professor da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

Para alcançar os números apontados por Tupinambás é mais do que necessário seguir as recomendações para evitar o contágio pelo novo coronavírus. “Só vamos chegar seguindo o protocolo. Não é hora de relaxar. Se todos seguirem podemos chegar ao número o mais rápido. Nosso desejo é abrir as escolas o quanto antes”.

Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.