Bolsonaro e Zema devem aglomerar cerca de 20 mil pessoas em Ipatinga

bolsonaro zema alto forno usiminas ipatinga
Zema e Bolsonaro participarão de evento na Usiminas (Alan Santos/Presidência da República + Divulgação/Usiminas)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o governador Romeu Zema (Novo) participarão de um evento em Ipatinga, no Vale do Aço, na manhã desta quarta-feira (26). Segundo a Polícia Militar, são esperadas cerca de 20 mil pessoas no trajeto presidencial e a segurança será reforçada com policiais de outras localidades. Ipatinga é a terceira cidade com mais casos de coronavírus em Minas, reabriu comércio, shopping e bares, e a visita dos governantes é mais um fator que preocupa. Ao BHAZ, um infectologista reforça os perigos de uma aglomeração de tal dimensão.

Os políticos e outras autoridades estarão na cidade mineira para a religação do alto forno I, da siderúrgica Usiminas, que está desativado desde abril, por conta da pandemia do novo coronavírus. O evento está marcado para às 11h, no bairro Bom Retiro. Segundo a empresa, a cerimônia será fechada, somente para convidados.

De acordo com último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde de Ipatinga, no fim da tarde dessa segunda-feira (24), a cidade já possui 7.181 casos confirmados da Covid-19, 8.056 casos suspeitos, 145 mortes e 81 pessoas internadas. A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 78%. Em casos confirmados, o município só está atrás de Belo Horizonte, com 30.579 casos e Uberlândia, no Triângulo Mineiro, com 17.920 infecções.

Além disso, Ipatinga reabriu, na última quarta-feira (19), bares, lanchonetes, restaurantes e o shopping da cidade. A medida foi publicada por meio de decreto, que prevê o respeito a todas as normas sanitárias de prevenção ao novo coronavírus.

Prefeitura confia na organização

Questionada sobre uma possível explosão de casos na cidade após a passagem dos políticos, a prefeitura de Ipatinga se limitou a dizer que confia nos responsáveis. “A Administração Municipal acredita que os responsáveis pelo cerimonial e pela segurança estão se cercando dos devidos cuidados também em relação aos protocolos sanitários e de proteção à saúde pública em função da pandemia”.

Sobre a aglomeração, a prefeitura esclarece que foi criado um canal para que as pessoas possam acompanhar tudo de casa. “Foi criado um canal eletrônico para que o público possa acompanhar a solenidade sem necessidade de estar presencialmente no evento”.

Além disso, a prefeitura também diz que, caso o número de pessoas ultrapasse os 20 mil, os órgãos federais e estaduais estarão preparados. “A estimativa de presença de público é das forças de segurança estadual e federal, que naturalmente também estão preparadas para eventual comparecimento de um número de pessoas superior ao previsto”.

‘Ótimas notícias’

O prefeito Nardyello Rocha contou a notícia da presença de Bolsonaro e Zema por meio das redes sociais, na última semana. “Ótimas notícias de BH… com a presença confirmada do Presidente da República Jair Bolsonaro e do Governador Romeu Zema, quarta-feira que vem retornaremos a produção do Alto Forno 1”.

“Parabéns a todos funcionários da Usiminas. Obrigado Presidente Sérgio Leite e todos funcionários da empresa. Ipatinga cidade dos milagres… reaquecimento da economia… ‘bora’ trabalhar mais aqui na capital… vem mais notícias boas aí”, completou o político.

Moradores não querem

Moradores da cidade contam que o município já está mais movimentado, com grande concentração de carros em frente a hotéis. Alguns relatam medo e se dizem contrários a realização do evento em um momento de pandemia. Veja a repercussão:

Casos podem aumentar

Ao BHAZ, o infectologista Leandro Curi explica que os casos podem aumentar na cidade após as aglomerações previstas para esta quarta-feira. “Será preciso reavaliar os casos duas semanas após as aglomerações, para se saber os efeitos de fato. Esse é o tempo de incubação e manifestação do vírus. É preciso lembrar que esse número de pessoas é o suficiente para uma transmissão alta. Quanto maior o tempo de exposição, maior o perigo. Cada pessoa presente pode infectar várias pessoas, muitos são assintomáticos, mas transmissores”.

Outro agravante, segundo o médico, é por se tratar de aglomeração política. “Sabemos como funciona. É uma multidão de idosos, principalmente. E, alguns desses, infelizmente, são negacionistas e participam desse tipo de evento sem a proteção necessária, como máscaras. Isso é muito sério. A pandemia é real, está aí matando milhares de pessoas todos os dias. Estamos em um momento de platô, experimentando um decréscimo leve, ainda não é o momento de aglomerar”, continua.

O infectologista compara o número de pessoas a um show. “São 20 mil pessoas durante o trajeto presidencial, e esse número pode ser maior. É muito perigoso, esse tipo de evento deveria acontecer em dois, três meses, quando estivéssemos realmente em regressão. Meu conselho é que as pessoas não compareçam a esses locais, evitem ao máximo”.

Acreditar na pandemia

“Muitas pessoas estão se portando de modo normal, como se não houvesse pandemia. O perigo está aí, temos que manter todos os cuidados. Quanto mais cedo a gente precaver e acreditar, mais cedo a gente sai dessa. Isso depende muito mais da população do que do poder público. Acreditar que ela existe, é real e mata”, explica o médico.

Leandro Curi também diz que entende o cansaço das pessoas, a fadiga causada pela pandemia. “Eu também sinto falta dos amigos, festas, shows, mas temos que trabalhar a empatia, o próximo pode se contaminar por nossa causa. Temos que quebrar a corrente de infecção. A pandemia vai passar, ela acaba ou estabiliza. Ela tende em estabilizar ou acabar. Estamos em uma fase muito imediatista, querendo usar remédios que não funcionam. A ciência tem o tempo dela, é preciso aguardar. Vivemos em sociedade, é um pelo outro. Quando uso a máscara, estou usando para você e para mim”, completa.

Edição: Roberth Costa
Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018 e 2019) e Sindibel (2019).

Comentários