Bolsonaro fez coronavírus virar ‘arma de destruição em massa’, afirma Lula

luiz inácio lula da silva pronunciamento sete setembro
Lula publicou um comunicado nesta segunda, Sete de Setembro (Reprodução/@Lula/Facebook)

Por Luciana Lima

Oex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva (PT) decidiu fazer um “pronunciamento” ao país neste 7 de setembro, Dia da Independência, no qual atacou o que chamou de “escalada autoritária” que seria patrocinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), pregou o fim do teto de gastos e se colocou “à disposição do povo brasileiro”, praticamente se lançando candidato.

Lula fez críticas à elite brasileira, que, em sua opinião, naturalizou o “passado aterrador” de Bolsonaro, sua apologia à tortura, os elogios a ditadores e ainda sua “apologia pública ao estupro”. Sobrou crítica até para a falta do hoje presidente aos debates na campanha eleitoral de 2018. “O Brasil está vivendo um dos piores períodos de sua história”, disse Lula, em uma mensagem em vídeo postada em suas redes sociais neste feriado. “Teria sido possível, sim, evitar tantas mortes”, disse o petista em relação ao coronavírus, que já matou mais de 126 mil brasileiros.

https://www.facebook.com/watch/live/?v=507516983450478&ref=watch_permalink

“Estamos entregues a um governo que não dá valor à vida e banaliza a morte. Um governo insensível, irresponsável e incompetente, que desrespeitou as normas da Organização Mundial de Saúde e converteu o coronavírus em uma arma de destruição em massa”, discursou o ex-presidente, em mensagem pré-gravada, com trilha sonora triste ao fundo.

Leia a reportagem completa no Metrópoles, parceiro do BHAZ.

Comentários