Independência do Brasil: em teu seio, ó liberdade!

bandeira quadro
Quando “A Pátria”, produzido por Pedro Bruno em 1919 (Reprodução/Museu da República – Ibram)

O 7 de Setembro marca a data de Independência do Brasil. Este ano, comemoramos 198 anos de um país livre e soberano, com seu destino nas nossas próprias mãos. A aproximação do bicentenário em 2022 traz um destaque maior que enseja reflexões nesta data comemorativa.

Após a volta da Família Real Portuguesa, as Cortes de Lisboa buscaram fazer retornar o Brasil à condição de colônia, na tentativa de retroceder os avanços alcançados entre 1808 e 1822, como a criação de instituições de Estado, de ensino e a abertura para o comércio internacional. Sendo tal cenário inaceitável, a arquiduquesa Maria Leopoldina, presidente do Conselho de Estado, e José Bonifácio de Andrada, nosso Patriarca da Independência, recomendam a Dom Pedro a declarar a Independência do Brasil, o que ocorre às margens do rio Ipiranga. Significou a consagração do ideal de que o Brasil jamais aceitará retrocesso em seu caminho de liberdade e prosperidade.

Esse episódio nos rendeu mais que um feriado. Como bem nos lembra grandes autores do liberalismo como Locke, Tocqueville e Stuart Mill, a liberdade política e civil é a base para a garantia de todas as outras, o caminho para o desenvolvimento pessoal e civilizatório. Com soberania e autonomia, o Brasil passou a dedicar-se ao seu desenvolvimento, construindo, mesmo com todas as adversidades, o país ao qual todos nós nos dedicamos e amamos.

Aprendi a respeitar a história do meu País e nossos símbolos nacionais desde pequena. Como aluna do Colégio Militar, participei dos desfiles de 7 de Setembro – estando à frente do batalhão escolar como coronel-aluna no ano de 2004 -, honrando nosso hino e bandeira. Participo ainda destes eventos como expectadora, ao lado dos meus filhos. Este sentimento patriótico é uma base saudável que nos impele à dedicação ao serviço público, ao futuro das nossas crianças e novas gerações, à ajuda ao próximo e à cooperação com nossos concidadãos. 

O Brasil é um país “gigante pela própria natureza”. Com uma das maiores populações, extensão, riquezas naturais e economia do planeta; tradição de boas relações com o mundo na esfera internacional; e status de potência regional; nossa nação tem todas as condições de se tornar o lar que todos queremos, com melhores índices de qualidade de vida, segurança, liberdade, justiça. Para isso, é necessária dedicação de uma sociedade civil responsável e ativa; e de uma classe política comprometida com políticas públicas baseadas em evidências e com foco nas prioridades da população.

Temos dificuldades, por certo. Mas apesar delas, nos mantemos firmes em um caminho de consolidação da democracia e das liberdades individuais. Foi para contribuir em tornar o Brasil um país admirável, para nós e nossos filhos, que decidi entrar para a vida pública. Há muito a ser feito, mas acredito que estamos em um caminho virtuoso, com progressiva melhoria da gestão do Estado, reformas estruturantes sendo discutidas e aprovadas, foco técnico na finalidade do serviço público em garantir acesso à educação, saúde e segurança com mais qualidade para os brasileiros. Brasil, “o teu futuro espelha essa grandeza”.

Laura Serrano
Laura Serranocontato@lauraserrano.com.br

Laura Serrano é deputada estadual eleita com 33.813 votos pelo partido Novo. Economista, Mestre pela Concordia University (Canadá), pós-graduada em controladoria e Finanças e graduada pela UFMG com parte dos estudos na Université de Liège (Bélgica). É membro da Golden Key International Honour Society (sociedade internacional de pós-graduados de alto desempenho).

Comentários