Comissão da OAB-MG vai apurar post do pastor Andre Valadão contra gays

post homofobico andre valadao
A Comissão estuda medidas contra postagem de pastor (Reprodução Twitter + Reprodução/@andrevaladao/Instagram)


A Comissão de Diversidade e Gênero da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Minas Gerais, informou, nesta sexta-feira (11), que vai tomar providências em relação a uma postagem do pastor Andre Valadão, da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte. A vice-presidente da comissão, Emilia Viriato, conversou com o BHAZ sobre o assunto hoje.

Andre Valadão foi criticado após responder o questionamento de um seguidor, no Instagram. O internauta quis saber o que ele pensava a respeito da presença de homossexuais na igreja e o religioso disse que “não é sobre a igreja expulsar”, mas sim “sobre entender o lugar de cada um”.

O post já foi apagado, no entanto, segundo a vice-presidente da comissão, um parecer será encaminhado ao MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) e o fato será apurado. “Uma análise tem que ser feita e vamos encaminhar para o Ministério Público. Mas pra mim, foi um crime de homofobia e não foi direcionado como uma injúria. E quando ele fala ‘todo gay não pode ir à igreja’, ele atinge a coletividade”, explica.

“É muito desagradável, uma figura pública tratar uma comunidade que a cada dia é morta com requinte de crueldade, por crime de ódio. Mas a comissão está aqui para ser a voz dessa comunidade e agir em defesa das minorias”, complementa.

Crime

Declarações homofóbicas e transfóbicas podem ser enquadradas no crime de racismo, desde junho de 2019, após decisão do (STF) Supremo Tribunal Federal. O crime de racismo é imprescritível e inafiançável e tem pena prevista é de um a três anos, podendo chegar a cinco anos em casos mais graves.

O BHAZ fez novo contato com o pastor para falar a respeito do assunto, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria. A reportagem será atualizada caso ele se pronuncie.

O que diz a Igreja Batista da Lagoinha

Procurada pelo BHAZ, a Igreja Batista da Lagoinha afirmou, por meio de nota, que tem como princípio “ser bíblica e ter como maior referencial a pessoa de Jesus Cristo, que recebia todas as pessoas sem distinção”. E continuou com um tom de receptividade: “Vemos isso por meio de sua trajetória registrada nos evangelhos, por isso, Ele é o nosso maior exemplo! Como Jesus nos ensina, nossas portas estão abertas para que todas as pessoas participem de nossos cultos de pregação das Sagradas Escrituras”.

Edição: Roberth Costa
Marcela Gonzaga
Marcela Gonzagamarcela.gonzaga@bhaz.com.br

Editora do BHAZ desde fevereiro de 2020. Jornalista graduada pela Newton Paiva. Trabalhou como produtora de TV e chefe de produção durante 14 anos, com passagens pela RecordTV, Rede Minas, RedeTV!, TV TRT-MG e TV TJMG.

Comentários