Em noite perfeita, atleticano vê Keno desencantar e time assumir liderança

keno três gols atlético galo atlético-go brasileirão
Keno marcou nada menos do que três gols e garantiu a vitória do Galo (Pedro Souza/Atlético)

O atleticano não poderia terminar o sábado (19) mais feliz. Derrota do arquirrival Cruzeiro para o então lanterna da Série B e uma vitória do jeito que o torcedor alvinegro gosta: recheada de emoções e gols. Mas o combo não termina por aí: com o triunfo de 4 a 3 sobre o Atlético-GO, o Galo assumiu a liderança do Brasileirão – e ainda tem um jogo a menos que o vice, Internacional. Como cereja do bolo, o criticado atacante Keno marcou três gols e dá esperança que pode engrenar com a camisa alvinegra.

Os comandados de Sampaoli encaram, agora, o Grêmio no Mineirão. O confronto está marcado para o próximo sábado (26). Já o xará goiano, que ocupa a 12ª posição, tem outro compromisso dentro de casa: vai enfrentar o Botafogo no domingo da outra semana, dia 27 deste mês.

Goleiros em ação!

Já aos 10 do 1T, a primeira chance de gol no jogo: Gustavo Ferrareis, cara a cara com Everson, chutou forte rasteiro, e o goleiro atleticano fez uma grande defesa. Pouco depois, aos 12, o Galo respondeu: Keno cruzou na pequena área, Alan Franco pegou forte de primeira e foi a vez de Jean trabalhar. No rebote, Sasha pegou de primeira, mas a zaga tirou.

Dragão na frente

O time da casa continuou pressionando e, aos 20, veio o gol. Depois de cabeçada de Kayser defendida por Everson, a bola sobrou para Oliveira, o zagueiro improvisado de volante. Sem marcação, de fora da área, ele chutou uma bomba a 97 km/h, “lá onde a coruja dorme”, indefensável para Everson.

Lá e cá

O gol esquentou o jogo – e o clube goiano queria mais: aos 24, Janderson chutou de fora, e a bola desviou, mas o goleiro alvinegro estava atento e mandou para longe. Mas o Atlético, mesmo com mais dificuldade em trabalhar a bola, não se entregava, e investia no lado esquerdo. Aos 30, o time mineiro chegou a empatar o jogo, mas, na revisão do lance, o VAR flagrou impedimento de Savarino no momento do cruzamento de Keno. Aos 38, o meia atleticano Alan Franco escorregou, e o caminho ficou livre para Nicolas, que chutou forte para o gol, e Everson fez uma grande defesa.

Keno na mira da torcida…

A árbitra Edina Alves Batista deu 6 minutos de acréscimo, e o Galo aproveitou para tentar o empate. Aos 45, Savarino chutou de fora, mas a bola subiu. Pouco depois, no último lance do primeiro tempo, Keno se viu cara a cara com Jean. O goleiro cresceu para cima dele, e o atacante mandou direto para fora. E quem levou a pior? A cadeira do banco de reservas, que foi chutada pelo técnico Jorge Sampaoli, enérgico.

Salva o Galo, Sampaoli

Já virou costume do atleticano: time joga mal o primeiro tempo e o torcedor se enche de esperança com as mudanças do técnico argentino. Desta vez, não foi diferente: Sampaoli fez duas mudanças no time atleticano, mudando o esquema tático de 4-3-3 para 3-4-3. O lateral Guga e o volante Allan saíram, para a entrada do zagueiro Igor Rabello e do meia Nathan.

2T começa frenético

E, veja só, a substituição de Sampaoli fez efeito: logo aos 5 do 2T, depois de uma tabela com Sasha, Nathan foi derrubado na área e a árbitra Edina Alves Batista marcou o pênalti. Depois do chute forte de Keno, Jean até acertou o canto esquerdo, mas a bola foi para o fundo das redes.

Mas o empate não durou muito, e o Dragão voltou a ficar na frente no placar logo aos 9 : Janderson deixou Ferrareis na cara do gol, e o atacante mandou para o fundo das redes, deixando 2 a 1 para o time de Goiânia.

Mas… Keno de novo!

Mas o time mineiro continuava insistindo, até que Nathan empatou pouco depois. Aos 14 minutos, depois de boa jogada de Savarino, o meia, livre, só precisou empurrar para as redes.

O gol deu ainda mais confiança ao time mineiro, e Keno colocou o Galo na frente, marcando pela segunda vez na partida. O atacante roubou a bola, invadiu a área e chutou forte, mandando para o gol: 3 a 2 para o Galo.

Trocação franca

O ritmo frenético continou! Aos 22 do 2T, após confusão na área, os jogadores do time goiano reclamaram de pênalti, depois de um suposto toque de mão do zagueiro Réver. Mas a árbitra Edina Alves Batista mandou seguir o jogo. Pouco depois, aos 27, Savarino cobrou falta que assustou o goleiro Jean, passando rente à trave.

Keno nas graças da torcida…

Como é o futebol, né?! Lembra que o Keno estava na mira da torcida por errar um chance clara no fim da etapa inicial? Pois bem… Aos 32, depois de aproveitar um erro de passe do time da casa, o atacante acertou a trave num chutaço. A bola voltou e, ao receber sozinho na área, cabeceou direto para as redes, fazendo seu terceiro gol no jogo.

Antes dessa partida, ele havia feito apenas um gol no ano – isso é que é desencantar! Logo depois, aos 34, no embalo do time atleticano, Nathan quase acertou um chute do meio de campo, obrigando o goleiro Jean a dar um tapa na bola.

Dragão desconta, mas já era…

Aos 48, da entrada da área, Matheuzinho chutou uma bomba, e Everson teve de espalmar para escanteio. Depois da cobrança, o zagueiro Gilvan cabeceou e mandou para as redes. Mas não teve jeito… A vitória já tinha dono: Galo 4 a 3 em um jogo digno das décadas de 50, 60…

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-GO 3 X 4 ATLÉTICO

Local: Estádio Olímpico, Goiânia (GO)
Data: 19 de setembro de 2020, sábado
Horário: 21h00 (de Brasília)
Árbitro: Edina Alves Batista (SP)
Assistentes: Neuza Inês Back (SP) e Evandro de Melo Lima (SP)
VAR: José Cláudio Rocha Filho (SP)

Cartões amarelos: Renato Kayzer e Edson (Atlético-GO)
Gols: Oliveira, aos 20 minutos do 1ºT, Gustavo Ferrareis, aos 9, e Gilvan, aos 49 minutos do 2ºT (Atlético-GO); Keno, aos 7, 19 e 32, e Nathan, aos 14 minutos do 2ºT (Atlético)

ATLÉTICO-GO: Jean; Dudu (Gilvan), João Victor, Éder e Nicolas; Oliveira (Matheus Vargas), Edson e Chico; Gustavo Ferrareis (Everton Felipe), Janderson (Matheuzinho) e Reanto Kayzer
Técnico: Vagner Mancini

ATLÉTICO: Everson; Guga (Igor Rabello), Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana; Jair, Allan (Nathan) e Alan Franco; Savarino (Maílton), Keno (Sávio) e Eduardo Sasha (Mariano)
Técnico: Jorge Sampaoli

Edição: Thiago Ricci
Beatriz Kalil Othero
Beatriz Kalil Otherobeatrizkof@gmail.com

Mineira de BH, graduanda em jornalismo pela UFMG e fascinada por futebol, dentro e fora das quatro linhas. Cobre os jogos dos times mineiros como repórter freelancer para o BHAZ.

Comentários