Candidato a vereador é morto a tiros após ser atacado em live

cassio live facebook
Cassio teve a live interrompida pelo irmão do prefeito de Patrocínio (Reprodução/@cassioremis/Facebook)

O pré-candidato a vereador Cassio Remis foi morto a tiros em frente à secretaria de Obras de Patrocínio, na região do Alto Paranaíba, nesta quinta-feira (24). O suspeito do crime é o secretário de Obras, Jorge Marra, que fugiu após o crime, conforme informou a PM. Ele é irmão do atual prefeito e candidato à reeleição, Deiró Marra (DEM).

A confusão entre os dois começou quando Cassio, que já foi vereador da cidade e até presidente da Câmara Municipal de Patrocínio, fazia uma live no perfil dele do Facebook. Na gravação, ele denunciava que funcionários da prefeitura faziam uma obra na avenida João Alves do Nascimento, próximo ao local onde será o comitê do prefeito da cidade.

“Para nossa surpresa, mas não para nossa estranheza, nos deparamos com funcionários sendo utilizados para fazer calçamento onde será o comitê eleitoral do prefeito. Funcionários da prefeitura com máquinas da prefeitura à disposição para fazer passeio. Quantos de vocês tiveram condição de ter este asfaltamento aqui? Ninguém. Nenhum de vocês”, disse Cassio.

Na sequência, ele mostra uma caminhonete chagando e o secretário Jorge descendo e indo em sua direção. “Está aqui agora o secretário chegando para me agredir. Não quebra meu telefone não”. Na sequência a transmissão ao vivo se encerra.

Morte

De acordo com a PM, Cassio foi até a secretaria de Obras de Patrocínio para pegar o telefone que estava com o secretário. Assim que o pré-candidato a vereador tentou recuperar o aparelho, Jorge sacou um revólver e atirou cinco vezes contra a vítima, que morreu no local. O suspeito fugiu em uma Hilux. A corporação acionou a perícia da Polícia Civil, além da equipe da Delegacia de Homicídios.

Após a fuga de Jorge, circulou a informação de que ele havia cometido suicídio, no entanto, a notícia foi negado pelas autoridades policiais. O suspeito está sendo procurado pela Polícia Civil e, segundo a corporação, as testemunhas serão ouvidas nesta noite e uma representação será feita pedindo a prisão preventiva do suspeito.

Live ocorreu pouco tempo antes do crime (Reprodução/Youtube)

Comoção

Internautas repercutem o assassinato do pré-candidato a vereador comentando a live onde a discussão teve início. “Que absurdo, matar por causa de política. Não tinha necessidade disso. Que triste”. “É revoltante acontecer isto. O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) tem que tomar atitude. Condolência aos familiares e aos cidadãos de Patrocínio”, escreveram alguns.

Prefeito manifesta

Deiró Marra, prefeito de Patrocínio, lamentou a morte de Cassio, por meio de uma nota postada nas redes sociais. O político decretou luto oficial por três dias na cidade do Alto Paranaíba e manifestou condolências à família da vítima. “O que aconteceu é uma tragédia que não tem e nunca terá minha aprovação. Em toda minha vida e em meu histórico de homem público sempre primei pelo diálogo e pelo debate”, disse.

O chefe do Executivo municipal ainda pediu que Deus dê “serenidade” às famílias para superarem a dor e que a polícia e a Justiça fiquem responsáveis pelas apurações “das nuances e consequências que culminaram com este fato tão consternador”.

Veja a nota da Polícia Civil na íntegra

“Assim que acionada, a Polícia Civil de Minas Gerais, em Patrocínio, esteve no local dos fatos, com peritos e investigadores, fazendo os primeiros levantamentos. A vítima teria sido atingida por cinco tiros após uma discussão com o suspeito, ele teria saído de onde fez a live atrás do celular que estava de posse do suspeito.

A ocorrência está em andamento e, neste momento, os policiais civis estão tentando localizar o suspeito do crime. Na Delegacia de Plantão, as testemunhas serão ouvidas ainda hoje e a Polícia Civil também vai representar, ainda hoje também, pela prisão preventiva do suspeito”.

Edição: Aline Diniz
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários